EUA vai garantir acesso a testes e vacinas contra varíola dos macacos, afirma Karine Jean-Pierre

Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA anunciou planos para alocar 786 mil doses adicionais da vacina Jynneos
Karine Jean-Pierre: "É nossa obrigação lutar contra o vírus" (Anna Moneymaker/Getty Images)
Karine Jean-Pierre: "É nossa obrigação lutar contra o vírus" (Anna Moneymaker/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 29/07/2022 às 17:35.

Última atualização em 29/07/2022 às 18:19.

A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, afirmou que os Estados Unidos vão garantir acesso a testes e a vacinas contra a varíola dos macacos para o povo americano. "É nossa obrigação lutar contra o vírus", destacou, durante coletiva de imprensa. Ontem, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA (HHS, na sigla em inglês) anunciou planos para alocar 786 mil doses adicionais da vacina Jynneos, aumentando o fornecimento de doses contra a doença.

Quando perguntada sobre a reunião do presidente Joe Biden com o presidente da Argentina, Alberto Fernández, Pierre afirmou que a data de encontro dos dois ainda será definida. A porta-voz também negou sobre planos de uma conversa entre Biden e o líder russo Vladimir Putin.

Leia também: Ministério da Saúde confirma primeira morte por varíola dos macacos no Brasil

Pierre foi questionada sobre a possível visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan. "Não vamos nos manifestar sobre situações hipotéticas", afirmou.

O presidente da China, Xi Jinping, advertiu ontem contra a intromissão dos Estados Unidos nas negociações com Taiwan, durante um telefonema com o presidente americano Joe Biden. Sobre a possível visita, Xi rejeitou a "interferência de forças externas" que poderia encorajar Taiwan para sua independência, que é reivindicada há décadas.

Veja também:

Brasil registra quase mil casos de varíola dos macacos; saiba como se prevenir

Varíola dos macacos coloca em risco imunossuprimidos, crianças, grávidas e idosos; entenda