Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

A Nasa vai criar um serviço de delivery... na Lua

É claro que isso não significa que o Rappi ou o iFood conseguirão entregar hambúrgueres e pizzas na Lua. Entenda:

A Nasa está planejando criar um delivery comercial e robótico na Lua com a ajuda de companhias americanas. Segundo a agência especial, os Commercial Lunar Payload Services (CLPS) serão responsáveis por fazer entregas de itens variados para o satélite terrestre.

É claro que isso não significa que o Rappi ou o iFood conseguirão entregar hambúrgueres e pizzas na Lua: a ideia é que sejam entregues ferramentas e experimentos tecnológicos. Com os vôos do CLPS, a Nasa está "comprando um delivery robótico lunar completo" e "não providenciará os serviços de lançamento, tampouco será dono dos landers ou será líder das operações".

Em comunicado publicado em seu site oficial, a agência afirmou que já comprou cinco missões comerciais lunares e deve anunciar mais uma "em breve". "A próxima companhia mantém a Nasa no caminho de cumprir sua meta de dois deliveries CLPS por ano como parte do programa Ártemis e fará dois deliveries por ano de 2021 a 2023", afirmou.

"Estamos animados com o progresso que fizemos com a nossa iniciativa CLPS desde sua criação há apenas dois anos, e está claro que mais consumidores querem tomar vantagem desses serviços de delivery lunares", afirmou o gerente do projeto, Chris Culbert. "Empresas comerciais são responsáveis por vetar quaisquer cargas úteis adicionais e clientes para suas missões. A Nasa é apenas um cliente como os outros, o que nos permite focar na ciência para o programa Artemis."

 

Dois landers comerciais proverão os primeiros serviços de CLPS para a Nasa em breve na Lua – um deles foi construído pela companhia Astrobotic, o outro pela Intuitive Machines. A expectativa é entregar um total de 17 cargas da agência espacial antes do final do ano. A carga inclui instrumentos e experimentos acoplados diretamente no lander ou armazenados seguramente em seus "porta-malas" até a possibilidade de um voo seguro.

A iniciativa pode facilitar a entrega de instrumentos científicos para a equipe que ficará na Lua com o objetivo de analisá-la, além de, é claro, ajudar os equipamentos que ficam no satélite em casos de mau funcionamento.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também