Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Silêncio da tenista Peng Shuai, após denúncia de assédio, preocupa WTA

Peng, uma das maiores estrelas esportivas da China, disse neste mês nas redes sociais que o ex-vice-premiê chinês Zhang Gaoli a coagiu a fazer sexo e que mais tarde eles tiveram um relacionamento consensual ocasional

O chefe da Associação de Tênis Feminino (WTA) expressou na quarta-feira sua dúvida a respeito de um email que recebeu, e também divulgado por um veículo da mídia estatal chinesa, no qual a tenista Peng Shuai teria negado alegações de que sofreu agressão sexual.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

Peng, uma das maiores estrelas esportivas da China, disse neste mês nas redes sociais que o ex-vice-premiê chinês Zhang Gaoli a coagiu a fazer sexo e que mais tarde eles tiveram um relacionamento consensual ocasional.

Sua postagem foi apagada cerca de meia hora depois, e desde então ela não foi vista em público ou emitiu um comunicado, alarmando a comunidade global do tênis.

Ainda na quarta-feira, o veículo da mídia estatal chinesa CGTN divulgou no Twitter o que disse ser um email que Peng enviou ao presidente da WTA, Steve Simon, que também é seu presidente-executivo, no qual disse que a alegação de agressão não é verdadeira. O Twitter está bloqueado na China.

"O comunicado divulgado pela mídia estatal chinesa a respeito de Peng Shuai só aumenta minhas preocupações a respeito de sua segurança e seu paradeiro", disse Simon em um comunicado por escrito.

"Tenho dificuldade de acreditar que Peng Shuai realmente escreveu o email que recebemos ou que acredita no que está sendo atribuído a ela."

A China ainda não comentou a alegação inicial da tenista, e o debate do tópico está bloqueado na internet chinesa altamente censurada.

O comunicado chega no momento em que o país se prepara para sediar a Olimpíada de Inverno de Pequim em fevereiro em meio a pedidos de boicote de grupos de direitos humanos em reação ao histórico de direitos humanos da China.

"Minha resposta é muito simples. Esta não é uma questão de política externa, e não estou ciente da situação que você mencionou", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, nesta quinta-feira ao ser indagado sobre o paradeiro de Peng e se a China receia que o caso afete sua imagem antes da Olimpíada.

A Associação Chinesa de Tênis não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

O email que o CGTN atribui a Peng diz: "Não estou desaparecida, nem estou em risco. Só tenho descansado em casa e tudo está bem".

Além do CGTN, a filial em língua inglesa da emissora estatal CCTV, nenhum outro veículo da mídia chinesa havia noticiado a carta até a manhã desta quinta-feira pelo horário asiático.

Um representante de Peng não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Sediada no Estado norte-americano da Flórida, a WTA já havia pedido à China para investigar as alegações de Peng.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também