Polícia de SP prende suspeito de roubar R$ 200 mil da conta de Neymar

A polícia disse que o suspeito trabalhava em um banco, cujo nome não foi revelado, onde o jogador do Paris St. Germain e da seleção brasileira, além de seu pai, tinham contas
Neymar: embora a polícia não tenha mencionado o nome de Neymar no comunicado, o delegado encarregado do caso disse se tratar do jogador do Paris St. Germain (Reuters/Sarah Meyssonnier)
Neymar: embora a polícia não tenha mencionado o nome de Neymar no comunicado, o delegado encarregado do caso disse se tratar do jogador do Paris St. Germain (Reuters/Sarah Meyssonnier)
Por ReutersPublicado em 10/02/2022 13:15 | Última atualização em 10/02/2022 13:41Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Polícia Civil de São Paulo prendeu um homem suspeito de ter invadido as contas bancárias de Neymar e roubar repetidamente somas de dinheiro até atingir o valor de mais de R$ 200 mil, disseram autoridades paulistas.

A polícia disse que o suspeito trabalhava em um banco, cujo nome não foi revelado, onde o jogador do Paris Saint- Germain e da seleção brasileira, além de seu pai, tinham contas.

Eles prenderam o suspeito de 20 anos na quarta-feira "por fraudar clientes de um banco", disse uma nota da Polícia Civil.

Embora a polícia não tenha mencionado o nome de Neymar no comunicado, o delegado encarregado do caso disse se tratar do jogador do Paris St. Germain e explicou como o suposto roubo ocorreu ao programa Brasil Urgente da TV Band.

"O rapaz que foi preso pegou a senha de seu companheiro de sala e começou a fazer pequenos furtos de dinheiros de pessoas famosas e de quem tinha um poder aquisitivo alto para eles não perceberem", disse Fabio Pinheiro Lopes, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

"Ele foi fazendo de R$ 10 mil, R$ 20 mil, depois fez um de R$ 50 mil e aí totalizou R$ 200 mil. Aí quando descobriram, procuraram o banco e foi ressarcido."

Lopes disse que a conta afetada era a de Neymar e que seu pai provavelmente controlava os recursos.

O assessor de imprensa de Neymar não comentou o caso quando foi contatado pela Reuters.