Lance Armstrong é processado por mentiras em seus livros

Ex-ciclista e editores de seu livro foram processados por fraude por dois homem californianos

	O ciclista Lance Armstrong: publicação foi um sucesso de vendas e foi classificada como não-ficção
 (REUTERS/Mike Hutchings)
O ciclista Lance Armstrong: publicação foi um sucesso de vendas e foi classificada como não-ficção (REUTERS/Mike Hutchings)
Por Alison FrankelPublicado em 26/04/2013 10:53 | Última atualização em 26/04/2013 10:53Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Dois homens californianos processaram Lance Armstrong e os editores de seu livro por fraude e propaganda falsa, alegando que o livro de memórias do ciclista, um sucesso de vendas e classificado como não-ficção, revelou-se cheio de mentiras depois de o ex-atleta confessar o uso sistemático de doping na semana passada.

A "ação coletiva" foi registrada na corte federal em Sacramento, Califórnia, na terça-feira, cinco dias depois de Armstrong encerrar anos de negações veementes e admitiu em uma entrevista na televisão para Oprah Winfrey que havia usado substâncias proibidas para melhorar o desempenho em seu caminho para o recorde de sete títulos na Volta da França.

Os nomes dos autores que constam no processo são Rob Stutzman, um executivo de relações públicas que foi vice-chefe de gabinete para o ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger, e Jonathan Wheeler, que é chef e ciclista amador.

Eles disseram que compraram os livros "Lance Armstrong- Muito Mais do Que um Ciclista Campeão" e "Vontade de Vencer- Minha Corrida contra o Cancro" porque acreditavam em Armstrong e em seu retorno sem ajuda de drogas à Volta da França, depois de um golpe quase fatal quando foi diagnosticado com câncer no testículo.