Casual
Acompanhe:

Harley-Davidson terá nova moto esportiva (e revolucionária) no Brasil

Sportster S é capaz de chegar a 220 km/h e trará recursos de fazerem inveja a carros de luxo; pré-venda parte de R$ 125,9 mil

Dianteira traz farol estreito que lembra a "irmã" Fat Bob 114 (Harley-Davidson/Divulgação)

Dianteira traz farol estreito que lembra a "irmã" Fat Bob 114 (Harley-Davidson/Divulgação)

G
Gabriel Aguiar

Publicado em 4 de janeiro de 2023, 20h02.

Última atualização em 4 de janeiro de 2023, 20h15.

Pode esquecer a antiga Harley-Davidson Sportster: a nova geração do modelo mais “acessível” da marca abandonou o visual custom e ganhou motor bicilíndrico em V de 1.252 cm³ emprestado da irmã big trail Pan America — outra prova das recentes revoluções dos americanos. E a moto entrará em pré-venda no mercado brasileiro a partir de 19 de janeiro por R$ 125,9 mil.

Dá até para dizer que a estreante é uma versão menor da Fat Bob 114 (cruiser intermediária com motor de 1.868 cm³), principalmente por conta do farol estreito e o pneu mais largo na dianteira, que também existia na versão Forty-Eight da antecessora. Por outro lado, se destaca o sistema de escapamento em posição elevada na lateral, que lembra modelos flat-track e scrambler.

Harley-Davidson Sportster S

Escapamento elevado na lateral remete às motos flat-track e scrambler (Harley-Davidson/Divulgação)

E ainda que a proposta seja mais esportiva, a moto não deixou de lado recursos tecnológicos que fazem inveja a carros de luxo, como seletor de modos de condução — com as opções Road, Sport e Rain, além de outros dois personalizáveis —; controles de tração e “de empinada”; monitoramento de pressão dos pneus; piloto automático; e painel com tela digital e conexão Bluetooth.

É verdade que a nova Sportster S tem 122 cv de potência, ou seja, 30 cv menos que a Pan America. Mas essa mudança (que também reduziu ligeiramente o torque) serviu para oferecer 10% mais de força em regimes médios e é suficiente para alcançar à velocidade máxima declarada de 220 km/h. Para completar o pacote, há câmbio manual de seis marchas e transmissão por correia.

Livre da missão de servir como “porta de entrada” no mercado brasileiro, função que agora cabe à Low Rider S de R$ 104,1 mil, a nova Harley-Davidson também chega recheada com itens de grife, como as suspensão assinadas pela Showa e os sistemas de freio ABS da italiana Brembo. Já as cores são quatro por aqui: Vivid Black, Bright Billiard Blue, Gray Haze e White Sand Pearl.

Novidade é capaz de chegar à velocidade máxima de 220 km/h (Harley-Davidson/Divulgação)

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.