Como duas chinesas viraram bilionárias? Com a indústria da beleza

O mercado de beleza cresce rapidamente na China, onde 13,7 milhões de pessoas usam os tratamentos. E isso pode ser apenas o começo

Fiona Cai apresenta um programa na internet em Nanchang, na China, que transmite ao vivo canções pop do país para vários milhares de seguidores da mídia social. Ela tem 28 anos, mas gasta cerca de 1.000 iuanes (155 dólares) por mês para uma injeção de reforço na pele.

Como fica a bolsa com o lançamento da vacina? Veja agora a análise das melhores empresas para investir hoje.

“Pode ajudar a minimizar os poros e clarear minha pele, e eu sinto que minha maquiagem funciona melhor”, disse ela em entrevista. Ela iniciou o tratamento há um ano. “Mas meu corpo o processa em algumas semanas, então tenho de mantê-lo todo mês.”

A indústria é um grande negócio no mercado de beleza em rápido crescimento da China — 13,7 milhões de pessoas usam os tratamentos, e isso pode ser apenas o começo. A previsão é de chegar a 25,5 milhões até 2023, elevando o mercado para 311,5 bilhões de iuanes, de acordo com relatório da iResearch. Globalmente, o negócio gerou 86,2 bilhões de dólares em receita no ano passado e deve aumentar a um ritmo anual de quase 10% até 2028, segundo estimativas da Grand View Research.

Duas das maiores beneficiárias são mulheres chinesas.

Jian Jun, presidente da IMeik Technology Development, acumulou dinheiro no ano passado mais rápido do que qualquer empresária asiática no Índice Bloomberg de Bilionários. Ela possui 5,2 bilhões de dólares depois que as ações de sua empresa dispararam mais de 500% desde a listagem em setembro. Zhao Yan, da Bloomage Biotechnology, por sua vez, acrescentou mais de 3 bilhões de dólares à sua fortuna em 2020, com uma valorização de 76% das ações.

Suas empresas são os principais fabricantes de hialuronato de sódio, uma substância hidratante usada em preenchimentos para a pele. Ao contrário do botox, que congela os músculos para parar as rugas e tende a atender os clientes mais velhos, os preenchimentos são pequenas injeções de vitaminas, minerais e aminoácidos que ajudam a melhorar a aparência da pele, apelando para o público mais jovem.

“Como um projeto básico, o hialuronato de sódio muitas vezes se torna a primeira escolha dos consumidores”, disse Neil Wang, presidente da Frost & Sullivan China, acrescentando que a cultura do país de ídolos do entretenimento e o crescimento da influência na internet estão elevando os padrões de beleza das pessoas. “O hialuronato de sódio pode atender a várias necessidades dos amantes da beleza modernos e pode manter sua juventude, melhorar sua aparência a um preço acessível.”

Os representantes da IMeik e da Bloomage não responderam aos pedidos de comentários e entrevistas com suas presidentes.

Jian se tornou interessada em cosmetologia enquanto trabalhava no exterior, depois de descobrir tratamentos de injeção com apelidos como “almoço de beleza”, que duram apenas 1 ou 2 horas. Depois de trabalhar em uma empresa americana de comércio e uma empresa têxtil no Panamá, ela voltou para a China em 2004 e ingressou na IMeik no mesmo ano como diretora, tornando-se gradualmente sua maior proprietária. A mulher de 57 anos tornou-se presidente da empresa em 2016.

Embora apenas 3,6% da população chinesa tenha experimentado cosmetologia médica até 2019 — em comparação com 21% na Coreia do Sul e 17% nos Estados Unidos —, esse número tende a crescer, de acordo com Kenneth Law, diretor de consultoria financeira da Deloitte China.

“As consumidoras na faixa etária entre 30 e 40 anos são vistas como o grupo de maior gasto com alta renda disponível”, disse Law. “Com maior consciência e ênfase geral para uma cultura de bem-estar pessoal, a crescente demanda por produtos de hialuronato de sódio foi observada e deve continuar”.

Até a covid-19 provou ser temporária. Após uma queda nos negócios durante os bloqueios no início de 2020, a atividade aumentou enquanto a China controlava o vírus. A receita da IMeik subiu 17% nos três trimestres até setembro, com o lucro aumentando 32%, para 290 milhões de iuanes. As vendas da Bloomage aumentaram 24% no mesmo período, enquanto os ganhos aumentaram 5%, para 438 milhões de iuanes.

Isso contrasta com as vendas das empresas de cosméticos, que caíram no ano passado com a pandemia e as regras de distanciamento social dificultando a necessidade de maquiagem.

IMeik e Bloomage, por sua vez, planejam expansão. A primeira está trabalhando em um produto de botox para ajudar a reduzir as rugas, enquanto a outra está desenvolvendo uma linha de cuidados da pele com ácido hialurônico e outros ingredientes naturais, mantendo os tecidos lubrificados e úmidos para atender clientes mais jovens.

“Homens e mulheres estão gradualmente aumentando sua aceitação e disposição para pagar por projetos de cosmetologia médica”, disse Wang da Frost & Sullivan China.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.