Casual

Cardápios nos EUA terão de incluir calorias dos alimentos

O projeto americano de indicar as calorias dos produtos e pratos foi criado durante o governo Obama

Restaurantes: a obesidade afeta mais de um terço da população dos EUA (Gianni Cipriano/The New York Times)

Restaurantes: a obesidade afeta mais de um terço da população dos EUA (Gianni Cipriano/The New York Times)

A

AFP

Publicado em 7 de maio de 2018 às 13h44.

Os restaurantes e demais estabelecimentos do setor passar a ser obrigados, a partir desta segunda-feira (7) e em todo país, a indicar as calorias em seus produtos e pratos, em aplicação de uma lei adotada ainda no governo Barack Obama.

A lei faz parte do dispositivo legislativo sobre a Saúde Pública conhecido como Affordable Care Act, o chamado "Obamacare", adotado em 2010 e cuja aplicação tem sido continuamente adiada.

"A partir de segunda-feira, os consumidores poderão entrar em qualquer rede de restaurantes, ou estabelecimento do país e saber quantas calorias tem cada alimento", escreveu a FDA, agência que regula o setor de remédios e de alimentos, em sua página institucional, na semana passada.

"Os estudos recentes mostram que o detalhamento nos menus permite reduzir entre 30 e 50 o número médio de calorias consumidas em cada visita", acrescenta a nota escrita pelo delegado da FDA, Scott Gottlieb.

A indicação das calorias nos restaurantes é um fenômeno em expansão nos Estados Unidos, um país onde a obesidade afeta mais de um terço da população.

A partir de hoje, essa informação passa a ser obrigatória em todas as redes, incluindo salas de cinema, máquinas, cafés, parques de diversões e padarias.

Acompanhe tudo sobre:AlimentosCaloriasEstados Unidos (EUA)

Mais de Casual

Temporada das trufas: 12 restaurantes em São Paulo para provar pratos com a iguaria

Marcas de beleza chinesas fecham as portas devido à forte concorrência

Smorgasburg: maior festival de comida de rua tem ingressos gratuitos

O segredo que a GM guarda e que deve mexer no mercado de carros no Brasil

Mais na Exame