A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Bolt revela que planeja se aposentar após Jogos de 2016

O atleta deixou claro que projeta deixar as pistas de forma vitoriosa, e não em decadência como acontece com muitos atletas de elite

Bruxelas - Usain Bolt confirmou nesta quarta-feira que planeja se aposentar após disputar a Olimpíada de 2016, no Rio. O velocista jamaicano voltou a fazer história no mês passado, em Moscou, onde se tornou o maior vencedor da história do Mundial de Atletismo, ao chegar ao total de oito medalhas de ouro, e agora deixou claro que projeta deixar as pistas de forma vitoriosa, e não em decadência como acontece com muitos atletas de elite.

Embora detenha os recordes mundiais das provas dos 100 e 200 metros e seja bicampeão olímpico destas duas distâncias, Bolt segue colocando metas para a sua assombrosa carreira. A principal delas agora é brilhar nos Jogos de 2016, mas antes disso ele espera poder quebrar novamente o recorde mundial dos 200 metros no próximo ano, quando talvez também busque um ouro no Commonwealth Games, evento conhecido como Jogos da Amizade.

Ao comentar a sua participação na Olimpíada de 2016, Bolt revelou, em entrevista coletiva: "Creio que será um bom momento para me aposentar, por cima e depois de dominar por tanto tempo". Entretanto, o atleta enfatizou que precisa seguir conquistando feitos para ser lembrado para sempre como um dos maiores esportistas de todos os tempos.

"Se quero estar entre os grandes, como (Muhammad) Ali e Pelé, e todos estes caras, tenho que seguir dominando até que me aposente", completou o jamaicano, que nesta sexta-feira irá fechar a sua temporada participando da prova dos 100 metros da etapa de Bruxelas da Diamond League, a última deste ano.

O homem mais rápido do mundo disse que tinha o objetivo de se tornar uma lenda, meta que diz ter conquistado com seu desempenho na Olimpíada de Londres, no ano passado. E Bolt destacou que buscará, nos Jogos do Rio, "algo que ninguém nunca fez, que é ganhar pela terceira vez seguida o ouro nos 100 metros e nos 200 metros" em uma Olimpíada.

Antes disso, porém, jamaicano tem outras metas a cumprir. Nesta quarta-feira, ele disse ser "possível" bater seu recorde mundial dos 200 metros, de 19s19, mas reconheceu ser "muito complicado" superar a sua marca mundial dos 100 metros, de 9s58. "Se eu conseguir me manter sem lesões, talvez vocês poderão ver eu batendo um novo recorde", avisou.

Para esta etapa final da Diamond League, Bolt ressaltou que espera "correr o mais rápido que puder, competir ao máximo e oferecer o melhor espetáculo possível". Desta forma, ele quer fechar em grande estilo a sua temporada depois de ter vencido a prova dos 100 metros de forma apertada na penúltima etapa da Diamond League, em Zurique, no fim do mês passado.

Naquela ocasião na Suíça, ele cravou o tempo de 9s90, superando por pouco o também jamaicano Nickel Ashmeade (9s94) e o norte-americano Justin Gatlin (9s96), que completaram o pódio. "Agora me sinto bem melhor", destacou o lendário velocista, proporcionado expectativa de que pode atingir mais um feito histórico de sua espetacular carreira nesta sexta-feira, em Bruxelas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também