Casual
Acompanhe:

A aposta nos pequenos

Versão infantil da Farm, a marca Fábula se expande com a abertura de lojas pop-ups

 (Fábula/Divulgação)

(Fábula/Divulgação)

D
Daniel Salles

12 de junho de 2020, 15h30

Conhecida pela roupas cheias de estampas, que permitem ver flores, carrinhos e toda sorte de bichos, a Fábula foi criada em 2009 como uma marca que inspira brincadeiras.

Fundada por Katia Barros e Marcello Bastos, é a versão infantil da carioca Farm, a primeira grife da dupla - desde 2010 as duas marcas fazem parte do portfólio do grupo Soma, dono também da Animale e da Cris Barros, entre outras.

Hoje com 17 lojas, todas próprias, a Fábula traçou um plano de crescimento baseado na abertura de unidades pop-ups. A principal vantagem delas é o custo, que equivale a cerca de 30% do investimento necessário para uma loja padrão.

“Esse formato permite testar a receptividade da clientela local e comprovar se é proveitoso ou não investir naquele ponto de forma fixa”, explica Marcello Bastos.

A comunicação visual das pop-ups é mais simples e o tamanho delas, um pouco menor. Mas as coleções ofertadas não mudam. A grife também dispõe de um e-commerce e comercializa suas peças por meio de 300 lojas multimarcas.