80% dos japoneses defendem adiar ou cancelar Olimpíada

O maior evento multiesportivo do mundo, adiado no ano passado devido à pandemia, está programado para ser realizado de 23 de julho a 8 de agosto

Cerca de 80% das pessoas no Japão dizem que as Olimpíadas de Tóquio deste ano deveriam ser canceladas ou adiadas, já que aumentam as preocupações sobre um aumento recorde de casos de coronavírus em todo o país, mostrou uma pesquisa da Kyodo News neste domingo.

A pesquisa constatou que 35,3% desejam o cancelamento dos Jogos e 44,8% preferem outro adiamento. O maior evento multiesportivo do mundo, adiado no ano passado devido à pandemia, está programado para ser realizado de 23 de julho a 8 de agosto, na capital japonesa.

O primeiro-ministro Yoshihide Suga declarou estado de emergência para a região da grande Tóquio na quinta-feira e pode estender a medida a outras áreas, enquanto o Japão luta para conter o aumento das infecções.

Suga tem recebido críticas sobre como tem lidado com a pandemia e sua taxa de apoio caiu desde que ele assumiu o cargo em setembro.

A taxa de aprovação de seu gabinete caiu 9 pontos em relação ao mês anterior para 41,3%, com a taxa de desaprovação de 42,8%, mostrou a pesquisa da Kyodo.

Cerca de 79% disseram que a decisão de Suga de chamar o estado de emergência para Tóquio veio tarde demais e 68% estavam insatisfeitos com a resposta do governo à pandemia, apontou a pesquisa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.