Estes são os sinais de que você está sabotando sua carreira

Entenda como a falta de confiança e outros comportamentos podem estar prejudicando sua carreira

Existe uma forma de pensamento que desacelera o avanço das pessoas na vida profissional: é a síndrome do impostor.

Mesmo a expressão ganhando certa popularidade, muita gente ainda tem dificuldade para determinar se está se sentido um impostor ou uma impostora no trabalho.

E há três sinais que podem deixar claro que esse pensamento se tornou um problema:

  • Você não acredita que é bom o suficiente para o seu cargo
  • Você acredita que boas oportunidades e vagas não são para você
  • Quando tem um bom resultado ou conquistar, tem costume de atribuir o crédito aos outros ou à sorte e não ao seu esforço

Segundo a fundadora do Fin4she, Carolina Cavenaghi, esses são comportamento fáceis para reconhecer quem sofre com a síndrome.

“E é muito mais forte nas mulheres do que nos homens. Com o curso do Fin4she, a gente desenvolve a confiança nas mulheres. E me vejo muitas vezes nessa situação de aprender junto”, diz ela.

Durante conversa no podcast Entre Trampos e Barrancos, a empreendedora dá dicas para vencer a síndrome do impostor, um dos temas abordados no WEP – Women Empowerment Program, o curso do Fin4she em parceria com a Exame Academy.

A falta de confiança pode afetar a carreira de várias formas. A mais distinta delas é a autossabotagem.

Quando surge um novo projeto, o “impostor” não aceita tomar a dianteira do desafio. A pessoa não tenta uma vaga de emprego se não tem todos os requisitos listados. Como líder, está sempre duvidando de suas decisões e nunca está satisfeito com sua entrega.

Todos esses comportamentos ainda tornam difícil para o profissional se tornar protagonista de sua própria carreira.

O que é a síndrome do impostor?

Mesmo com o nome de síndrome, é importante alertar que não é uma doença reconhecida pela Organização Mundial da Saúde. A síndrome do impostor é uma dificuldade para a pessoa enxergar suas habilidades e esforço.

Normalmente, ela está ligada a problemas de autoestima, insegurança, perfeccionismo, autocritica e alta cobrança. Esse combo se manifesta como um sentimento de insuficiência ou incompetência. Conquistas, elogios ou prêmios vêm acompanhado do medo de ser descoberto como uma fraude.

Como vencer a síndrome do impostor?

Segundo Cavenaghi, vencer esse sentimento é um exercício diário e requer muita reflexão e autoconhecimento. Um dos pontos para reflexão é se policiar para evitar críticas constantes.

Carolina Utimura, CEO da Eureca, conta no podcast Como Cheguei Aqui que já sofreu com a síndrome e conseguiu vencê-la.

Para qualquer momento de dúvida sobre o valor de seu trabalho, ela compartilha que ter uma rede de apoio e inspirações são coisas que ajudam no combate ao sentimento de impostora. A terapia é outro passo importante, assim como ter aprendido a celebrar suas vitórias.

“Muitas vezes a gente se esforça para caramba, atinge uma meta e no mesmo segundo já é ‘bora pra próxima’. E nem reconhece aquilo, comemora. Acho que isso é super importante”, fala ela.

A fundadora da Fin4she reforça a questão da rede de apoio e também recomenda mentoria. Essa rede será um conjunto de vozes negando os pensamentos de autossabotagem.

E celebrar as vitórias é uma forma de reconhecer seu mérito e esforço, o que ajuda na questão de aprender a aceitar elogios e crédito pelo seu trabalho.

“Temos que valoriza a nosso caminho, é importante olhar para a nossa história. Falamos no curso sobre técnicas de storytelling. É importante: independente do que você fez, você chegou até aqui. Passou por muita coisa e precisa dar valor. E reconhecer suas conquistas diariamente”, fala Cavenaghi.

Sua jornada de empoderamento 

Ser protagonista da sua carreira e ter uma jornada de empoderamento pode começar em qualquer momento da vida profissional. Para ajudar mais mulheres a ter uma jornada de sucesso, a Exame Academy oferece o curso Woman Empowerment Program (WEP) junto com a Fin4she. 

O curso promove encontros para ensinar mulheres (e homens também) sobre protagonismo, eneagrama, storytelling, autoconhecimento, comunicação e muito mais.  

Para quer desenvolver essas habilidades, o curso WEP está com inscrições abertas para a próxima turma até o final de julho. Serão encontros online e ao vivo em agosto com carga horária de 9 horas. Confira mais aqui. 

Quais são as grandes tendências do mercado de trabalho? Invista na sua carreira. Assine a EXAME.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também