Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Como se dar bem na redação do concurso da Polícia Federal?

Diogo Arrais, professor do Damásio Educacional, dá dicas para a redação cobrada no concurso para agente da Polícia Federal

É com muita alegria e expectativa que os concursandos de todo o país receberam o edital para o concurso da Polícia Federal. Mais uma vez, a Questão Discursiva selecionará os melhores candidatos. Tratemos, pois, de pontos cruciais para o desenvolvimento de um bom texto argumentativo.

Quanto ao tema, é interessante notar que o CESPE/UNB cobrará atualidades ligadas à Segurança Nacional, à Política Nacional, às ações ou projetos da própria Polícia Federal.

Não se pode chegar a um concurso público sem a prática constante de parágrafos/textos argumentativos, no espaço proposto pela banca examinadora (30 linhas). Procure ter a folha oficial (CESPE) de Redação e, diariamente, escreva, já tendo a noção do tempo gasto para tal produção. Como a prova terá a duração de 5 horas, procure reservar, aproximadamente, uma hora para a produção da argumentação. Diariamente, cronometre a produção de seu texto.

No seu ambiente de estudo, promova um mapa com possíveis temas ligados ao Direito Penal, Constitucional, Geopolítica, Segurança Pública, Leis Polêmicas. 

Aqui, vale destacar a estrutura verbo-oracional eficiente e impessoal, para o início do texto: “De acordo com a Constituição Federal, sabe-se que o conceito de impessoalidade relaciona-se a ...”

Para o conteúdo das informações, não invente absolutamente nada – já que o examinador dará valor às informações embasadas em referências bibliográficas ligadas ao tema proposto. Tenha em mente nomes de autores, obras, instituições, datas, conceitos jurídicos. Fuja de frases vazias como: “Desde tempos remotos, o homem sempre esteve preocupado com o sigilo das informações...”.
Ademais, procure demonstrar conhecimento – profissional – sobre o tema da prova, como “Preconiza a Doutrina que, tendo em vista o ato praticado, (...). Ainda sim, Celso de Mello, na obra x, destaca a Ação como (...).”

Como ser didático e convencer na conclusão do texto? Geralmente, o examinador destaca um problema, uma polêmica ou um projeto (como quando cobrou, em concurso anterior, sobre o PRONASCI – Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania).
Na conclusão, mostre uma visão humana, consciente ou mesmo uma solução que valorize aspectos sociológicos, humanos, como “Com os investimentos de X milhões no Pronasci, o governo garantirá atendimento a X milhões de cidadãos; garantirá mais estrutura às ações investigativas; garantirá mais coerência e respeito aos elementos constitucionais supracitados.”.

Nesta época das Eleições, muito se comentou sobre as investigações da Polícia Federal. Escreva, com embasamento científico; dê atenção às normas gramaticais e, dentro do possível, tenha alguém para revisar o seu texto. Se fosse candidato a uma das vagas, certamente produziria algumas centenas de textos argumentativos.

Desejo-lhe muito sucesso em mais este Concurso Nacional!

Um abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

 

Diogo Arrais
@diogoarrais
Professor de Língua Portuguesa – Damásio Educacional
Autor Gramatical pela Editora Saraiva

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também