Carreira
Acompanhe:

Aprendeu amar ou a amar: qual o correto? Veja exemplos

O colunista Diogo Arrais explica em quais contextos o verbo aprender pode ser transitivo direto, transitivo indireto e intransitivo

 (Sompong Rattanakunchon/Getty Images)

(Sompong Rattanakunchon/Getty Images)

D
Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais)

Publicado em 29 de novembro de 2022, 18h05.

Uma leitora querida cravou: “O verbo aprender é transitivo direto e ponto-final!” Lamentei a exclamação, mas resolvi ir além e expor o que grandes mestres têm sobre o tema.

LEIA TAMBÉM:

Comecemos por Celso Luft, em seu grande Dicionário de Regência Verbal:

“Transitivo direto, transitivo indireto, intransitivo (...) Aprender com, de, em, por ...”

São várias as possibilidades:

“Aprendi isso com (ou de) meus pais.”
“Aprende chorando e rirás ganhando.”

No dicionário Aulete, além da etimologia latina apprendere, veem-se bons exemplos:

“Quero aprender capoeira.”

“Crianças desnutridas têm dificuldade para aprender.”

“...aprender com os próprios erros.”

Em suma: as possibilidades regenciais são muitas. Porém: um elogio à leitora – em muitas das ocorrências, o verbo é transitivo direto.

A dúvida maior vem quando o objeto é infinitivo (oração infinitiva). Nesse caso, esse complemento é regido sim de a (prepositivo). Tanto no Aulete quanto no Luft, há os registros oficiais:

“Cedo aprendeu a desenhar e a pintar.”
“Eu sou poeta e não aprendi a amar.”

Aprender a escrever bem exige esforço e dedicação. Somos imperfeitos, mas o conhecimento gramatical auxilia muito na ordem das informações.

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
http://www.ETIMO.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Professor de Língua Portuguesa

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.