Um conteúdo Bússola

Que nota personagens de Stranger Things teriam em avaliação de desempenho

Encontrar referências em situações do dia a dia pode ajudar a avaliar atitudes e personalidades de colaboradores da empresa
Avaliação de desempenho fortalece autoconhecimento (Netflix/Reprodução)
Avaliação de desempenho fortalece autoconhecimento (Netflix/Reprodução)
Por BússolaPublicado em 27/05/2022 20:00 | Última atualização em 27/05/2022 14:49Tempo de Leitura: 6 min de leitura

Por Marcelo dos Santos*

Toda e qualquer empresa, independentemente de seu porte, precisa avaliar seus colaboradores quanto a capacidade de entrega, performance individual e coletiva entre outros fatores. E uma das ferramentas mais amplamente utilizada para esse tipo de análise é a Avaliação de Desempenho (AD). Esse processo também é fundamental para desenvolver as pessoas, fortalecer o autoconhecimento de cada uma delas e coletar informações para tomadas de decisão.

Mas muitas companhias ainda têm dúvidas sobre como realizar esse processo de maneira assertiva. Acabam baseando-se em templates prontos que são encontrados online ou contratam uma consultoria especializada. Entretanto, logo percebem que, para alcançar resultados factíveis, é preciso que o processo esteja alinhado com a cultura e os valores organizacionais e seja feito de forma personalizada que atenda o segmento de negócio da empresa.

Geralmente os formulários de avaliação de desempenho contemplam itens relacionados à competência de entrega, ou seja, a como o colaborador entrega determinado projeto, interage com a equipe, e ao eixo comportamental, destinado a medir como a pessoa lida em situações sob pressão, capacidade de lidar com diferentes problemas simultaneamente, iniciativa, entre outros.

Normalmente as notas para cada qualificação vão de 1 a 5. Alguns itens que podem ser avaliados são:

  • Trabalho em equipe: Liderança e desenvolvimento de equipe. O colaborador é visto como uma referência pessoal e profissional por membros da sua equipe, mantendo estreito relacionamento entre eles, ajudando na retenção de talentos.
  • Equilíbrio emocional: Capacidade de lidar com a pressão do dia a dia e de manter a calma diante de decisões extremas, tendo uma atitude positiva para sair de situações estressantes ou conflitantes.
  • Flexibilidade e Adaptabilidade: Implementação de soluções criativas para resolver divergências. Capacidade de lidar com diferentes situações simultaneamente, solucionando-as e alcançando os resultados desejados.
  • Orientação a resultados: Coordenação de esforços e maximização de resultados. Executa as atividades visando resultados com alta qualidade.

Uma maneira de tornar esse processo interessante é encontrar em situações do dia a dia referências que podem ser usadas para avaliar atitudes e personalidades. E por que não se basear em personagens da ficção?

Vamos tomar como referência um dos maiores sucessos da cultura pop que está batendo novamente à nossa porta, com a quarta temporada já anunciada. Com Stranger Things, a série de suspense que tem forte inspiração nos anos 80, encontramos uma maneira interessante de exemplificar pontos importantes de um processo de AD, fazendo uma breve avaliação de alguns dos principais personagens, obviamente apenas como uma forma de exercício. E, atenção, alerta de spoiler à vista!

Joyce Byers

Altamente generosa e amigável, não mede esforços para manter seus filhos fora de perigo. Foi a primeira a conseguir se comunicar com o filho Will quando ele estava desaparecido, demonstrando criatividade ao criar um sistema de comunicação com ele e foi inteligente o bastante para analisar o cenário e as reações quando precisou ajudar a remover o monstro que se apossou do corpo do menino. Foi irredutível em aceitar ajuda de Nancy e Jonathan, mas todos sabemos que existia um sentimento de proteção por trás dessa decisão. Suas notas seriam:

Trabalho em equipe: 3

Equilíbrio Emocional: 4

Flexibilidade e Adaptabilidade: 5

Orientação a resultados: 5

Jim Hopper

Ao longo das primeiras temporadas, o personagem não confiava em seus pares, não dividia informações cruciais e não agia como líder. Porém, com obstinação e intuição, ele focou nos resultados que eram, primeiro encontrar Will Byers e depois proteger Eleven de ser pega pelos "criadores" e supera as expectativas na terceira temporada se sacrificando para salvar a cidade de Hawkins. Seus índices seriam:

Trabalho em equipe: 1

Equilíbrio Emocional: 5

Flexibilidade e Adaptabilidade: 4

Orientação a resultados: 5

Eleven

Extremamente eficaz em tudo que se propõe a fazer, foi fundamental para salvar os amigos e Hawkins das maldades do Mundo Invertido em todas as temporadas. O maior problema dela no início era esconder informações das pessoas que só queriam ajudar a solucionar os problemas e, depois por ser ferozmente protetora e cautelosa, ela preferia trabalhar na resolução sozinha, o que demonstra fraca habilidade para trabalho em equipe. Seu equilíbrio emocional também não era dos melhores, uma vez que seus poderes eram desencadeados por episódios de intenso estresse e medo. Mas, com no decorrer das temporadas, ela aprende a se controlar melhor e usá-los de maneira mais direcionada.

Trabalho em equipe: 2

Equilíbrio Emocional: 3

Flexibilidade e Adaptabilidade: 5

Orientação a resultados: 5

Dustin Henderson

Amigável ao extremo, se integra muito bem à equipe, a outros personagens que não fazem parte do seu ciclo de amizades e media de forma inteligente os conflitos que surgem durante toda a trama. Além disso, é observador e demonstra criatividade na elaboração de planos para salvar a todos. Com abordagem neutra em situações desconhecidas, falta um pouco de equilíbrio emocional em determinados momentos em que deixou que o desespero tomasse conta dele.

Trabalho em equipe: 5

Equilíbrio Emocional: 3

Flexibilidade e Adaptabilidade: 5

Orientação a resultados: 4

Jonathan Byers

No início da série, não podemos dizer que ele trabalhava bem em equipe, pois era isolado e não confiava na própria mãe. No decorrer das temporadas, ele se superou e trabalhou muito bem ao lado de Nancy e depois com Steve para desvendar os mistérios dos acontecimentos em Hawkins. Além disso, demonstrou criatividade para montar uma estratégia para pegar o Demogorgon. Mas, percebe-se que ainda precisa se abrir mais e aumentar sua confiança ao trabalhar em equipe, para obter resultados mais eficazes. Sua avaliação ficaria da seguinte forma:

Trabalho em equipe: 3

Equilíbrio Emocional: 4

Flexibilidade e Adaptabilidade: 4

Orientação a resultados: 4

Nancy Wheeler

Logo a personagem se mostra muito eficiente trabalhando em equipe, inclusive exercendo papel de liderança em alguns momentos cruciais e fazendo alianças impensáveis. É forte, corajosa e persistente, não desiste de seus objetivos, mesmo em situações de grande perigo.

Trabalho em equipe: 5

Equilíbrio Emocional: 5

Flexibilidade e Adaptabilidade: 4

Orientação a resultados: 3

Pode ser interessante e mais produtivo a aplicação da Avaliação de Desempenho dessa forma. E que venha a próxima temporada para sabermos o quanto cada personagem evoluiu em suas habilidades como profissionais na arte de salvar Hawkins.

*Marcelo dos Santos é sócio-fundador e vice-presidente de Serviços e Pessoas da Iteris.

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Burger King transforma lojas em SP em fortalezas anti-Demogorgon

Bússola Cultural: Semana tem filmes e peças com #CulturaEmCasa

Sete comportamentos que queimam o filme no trabalho