Um conteúdo Bússola

Bússola Cultural: Semana tem filmes e peças com #CulturaEmCasa

Confira toda quinta-feira sugestões da Bússola com o melhor da programação cultural de São Paulo
Limite, de Mario Peixoto, integra "200 anos de Independência em 200 filmes" da #CulturaEmCasa e Cine Belas Artes (Cine Belas Artes/Divulgação)
Limite, de Mario Peixoto, integra "200 anos de Independência em 200 filmes" da #CulturaEmCasa e Cine Belas Artes (Cine Belas Artes/Divulgação)
Por BússolaPublicado em 26/05/2022 12:27 | Última atualização em 26/05/2022 12:48Tempo de Leitura: 8 min de leitura

Mostra da Independência

Entre  2 e 30 de junho, a Amigos da Arte e o Cine Petra Belas Artes apresentam a mostra “200 anos da Independência em 200 filmes”, que comemora os 200 anos de Independência do Brasil por meio de uma seleção de cem curtas e cem longas-metragens nacionais.

Com curadoria da jornalista e crítica de cinema Maria do Rosário Caetano, os filmes serão apresentados gratuitamente no formato virtual pela plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, gerida pela Amigos da Arte, e no Petra Belas Artes, região central de São Paulo, a preços populares (de R$ 4,00 e R$ 2 — meia entrada).  “Um Broto Legal”, cinebiografia da cantora Celly Campello, abrirá o festival no Petra Belas Artes.

acesse a #CulturaEmCasa pela plataforma (aqui) ou pelo aplicativo disponível nas lojas da Apple Store ou no Google Play; acesse o Cine Belas Artes aqui.

Episódio de “A Lei do Riso: Crimes Bizarros” (Divulgação/Divulgação)

Crimes bizarros

A plataforma #CulturaEmCasa apresenta a série “A Lei do Riso: Crimes Bizarros”. Feita para TV, a série registra o processo cômico de reconstituição de crimes reais que, de tão bizarros, viralizaram na internet e mais parecem ficção. O elenco reencena sua versão desses crimes adicionando muito drama, humor e números musicais. “A Lei do Riso” chegou a ser uma das cinco finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019, na categoria Melhor Série Brasileira de Ficção.

acesse aqui; para conhecer todo o conteúdo da #CulturaEmCasa, acesse a plataforma ou baixe o aplicativo disponível no Google Play e na Apple Store.

Luar do Sertão

Luar do Sertão (Divulgação/Divulgação)

Esquenta do “arraiá”

A quadrilha “Luar do Sertão - A fé que nos une é a fé que nos move” conta a história de Maria e Severino, que, após perderem um filho por causa da seca, acreditam na fé e se apegam aos santos de romaria Padre Cícero, Frei Damião e Nossa Senhora Aparecida, padroeiros do povo do sertão nordestino. Com base na obra “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, “Luar do Sertão” apresenta uma história forte, cheia de inovação, quatro trocas de roupas, efeitos especiais e um enredo bem amarrado. Ao longo de 35 anos de atividade, “Luar do Sertão” fez história e foi campeã em todos os campeonatos de que participou em 2014.

disponível na plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa. Acesse aqui.

Daniel filho em Cine Passeio

Daniel filho em Cine Passeio (Divulgação/Divulgação)

Um contador de histórias

O ator, produtor e diretor Daniel Filho está no centro do podcast “Cine Passeio”, uma iniciativa da plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa. Em dois episódios, Daniel Filho, um dos grandes expoentes do audiovisual brasileiro, fala sobre seu novo filme, “O Silêncio da Chuva”, e sobre suas influências e a arte de contar histórias. Os episódios são mediados por Yasmin Graeml, Marden Machado e Marcos Jorge.

o podcast já está disponível.

Apresentação no Teatro Sérgio Cardoso

Apresentação no Teatro Sérgio Cardoso (Silvia Machado/Divulgação)

Lago dos Cisnes

O Teatro Sérgio Cardoso (TSC) recebe o espetáculo “O Lago dos Cisnes”, de Mario Galizzi, criado especialmente para a São Paulo Companhia de Dança (SPCD). O balé, com músicas especialmente composta por Tchaikovsky, estreou em 1877 no Teatro Bolshoi, mas  se tornou sucesso em 1895, com a coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov para o Teatro Mariinsky, em São Petersburgo. O “Lago dos Cisnes” do TSC foi feito sob medida para os artistas da companhia. A coreografia de Galizzi – atualmente diretor do balé do Teatro Colón, na Argentina – dialoga com a tradição e se renova nas relações dos personagens, no detalhe das pantomimas e nos desenhos das cenas, em sintonia fina com a música emblemática de Tchaikovsky. Em 2018, foi eleito o segundo melhor espetáculo pelo Guia da Folha de S.Paulo (voto do público e do júri) e também recebeu o Prêmio APCA - Prêmio Técnico para o trabalho de Vivien Buckup como professora de dramaturgia da obra.

a partir de 9 de junho; para compra de ingressos e mais informações, acesse o site do Teatro Sérgio Cardoso.

Exposição do Coletivo Avuá, com fotografia de Ana Clara Muner

Exposição do Coletivo Avuá, com fotografia de Ana Clara Muner (Divulgação/Divulgação)

 

Estrutura bruta

O Panorama #CulturaSP, iniciativa da plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, apresenta a exposição ”Estrutura Bruta” do Coletivo Avuá, com fotografia de Ana Clara Muner. Denunciando silenciosamente a desigualdade de poder que sustenta a história brasileira e oscilando o olhar dentro de uma galeria repleta de símbolos, a câmera passeia pela exposição tecendo uma narrativa de poder e esquecimento. Cabe a ela deixar sair o que a obra simboliza, descolonizar discursos, evitar apagamentos: eis a resistência que desafia a estrutura bruta da história dita oficial.

disponível a partir de 31 de maio, acesse aqui.

Cléo de Páris encena "Intradoxos", parte de “Leituras Modernistas”

Cléo de Páris encena "Intradoxos", parte de “Leituras Modernistas” (Divulgação/Divulgação)

Um pouco de poesia

A plataforma #CulturaEmCasa apresenta "Intradoxos", parte do ciclo de “Leitura Modernistas”, uma celebração aos cem anos da Semana de Arte Moderna comemorada este ano. A obra de Márcio-André faz uma ode à poesia de sintaxe matemático-sonora. O livro ‘Intradoxo: Movimento Perpétuo’ é o ponto de partida para essa leitura encenada por Cléo de Páris, que ocupa a cena e empresta seu instrumento a esse trabalho que dialoga com experimentações literárias do último século.

disponível aqui

Aulas no núcleo pedagógico da Osesp

Aulas no núcleo pedagógico da Osesp (Laura Manfredini/Divulgação)

Hora da aula

De 1º a 6 de junho, estarão abertas as inscrições para o núcleo Pedagógico da 52ª edição do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. A edição oferece até 142 bolsas de estudo integrais para alunos brasileiros e estrangeiros para os cursos de Instrumento, Regência Orquestral, Prática de Orquestra e Música de Câmara. Serão aceitas inscrições de alunos com idade entre 16 e 30 anos (completos no ato da inscrição) para todos os cursos, exceção para Regência Orquestral, cuja idade permitida será entre 16 e 35 anos (completos no ato da inscrição). As atividades pedagógicas acontecerão na Sala São Paulo, sede da Osesp. As atividades de performance acontecerão tanto na cidade de Campos do Jordão (SP), como na Sala São Paulo (sala de concertos) e nas demais salas do Complexo Cultural Júlio Prestes.

para mais informações, acesse o site do Festival. Para assistir as atrações do Festival de Verão de Campos do Jordão, de janeiro deste ano, acesse a plataforma #CulturaEmCasa, aqui.

Moeda de 200 réis de 1901, encontrada durante restauração no Museu do Ipiranga

Moeda de 200 réis de 1901, encontrada durante restauração no Museu do Ipiranga (Divulgação/Divulgação)

Acervo de achados e perdidos

A plataforma Agenda Bonifácio, guia que reúne fatos históricos e programação cultural sobre os 200 anos de independência do Brasil, traz um ícone especial sobre o Museu do Ipiranga, a ser reinaugurado em 7 de setembro deste ano. Entre as novidades, farão parte do acervo os itens achados durante a restauração do espaço. Cerca de 400 objetivos foram encontrados em escavações e realocações de árvores na área externa do novo museu, além do contrapiso do prédio histórico. O primeiro item achado foi uma dentadura, da primeira metade do século 20, que tinha um dente com restauração em ouro — ou imitação —, o que confere certo status ao “proprietário”.

Saiba mais sobre o Novo Museu do Ipiranga e muito mais na Agenda Bonifácio, acesse aqui

Trecho da peça em exibição no Festival #CulturaEmCasa

Trecho da peça em exibição no Festival #CulturaEmCasa (Divulgação/Divulgação)

Escandinavos

O Festival #CulturaEmCasa apresenta a peça “Escandinavos”, que mistura realidade e ficção no relato de uma atriz, vivida por Andrea Tedesco. Ela busca, por meio do teatro e com lapsos de memória, recontar, com bom humor e sensibilidade, sua história repleta de desencontros. O monólogo tem direção de Nicole Aun, que optou por uma cenografia simples, que desse espaço às diversas idas e vindas da cabeça da personagem. Texto de Denio Maués.

acesse aqui

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Bússola Cultural: semana tem Agenda Bonifácio e musical Agreste

 Caso Jade Picon: É legítimo ou não atuar em novela sem registro?

Faria Lima: Olhar humano para os que habitam uma avenida em evolução