Um conteúdo Bússola

Onde está a transparência?

Especialista em comunicação digital alerta que, para ser transparentes, empresas devem ouvir e priorizar as pessoas
Transparência não significa só abrir as portas da sua empresa nas redes sociais, mas sim ter coerência e consistência em tudo o que faz para dentro e para fora (Luxy Images/Getty Images)
Transparência não significa só abrir as portas da sua empresa nas redes sociais, mas sim ter coerência e consistência em tudo o que faz para dentro e para fora (Luxy Images/Getty Images)
P
Por Damaris Adamucci*

Publicado em 14/10/2020 às 20:59.

Última atualização em 14/10/2020 às 21:10.

Desde o começo do isolamento social, o mercado de comunicação tem especulado tendências para o mundo pós-pandêmico. Transformação digital, omnichannel, inteligência artificial, mídia de performance, enfim, os caminhos são milhares e as empresas não perderam tempo em correr atrás dessas tecnologias e de como elas vão se conectar com a audiência.

Mas, por trás de tudo isso, o que existe? Eu te respondo: pessoas. E digo mais: pessoas cada vez mais conscientes do seu lugar de fala e dispostas a cobrar das marcas por algo que a tecnologia não entrega sozinha — transparência.

Diante de uma pandemia, esse atributo se tornou ainda mais essencial e definitivo para os negócios. Vivemos a era da informação desenfreada e da desinformação também. Os consumidores precisam ter em quem acreditar e com quem dialogar de forma clara e verdadeira.

Transparência não significa só abrir as portas de sua empresa nas redes sociais, mas sim ter coerência e consistência em tudo o que faz para dentro e para fora. Transparência também é assumir sua vulnerabilidade e se colocar em um lugar de aprendizado e escuta ativa das necessidades do seu consumidor.

A verdade é que ninguém espera que uma marca seja perfeita, sem defeitos ou erros no meio do caminho. Mas o que não se tolera mais é uma marca que não tem humildade para ouvir e aprender com sua audiência.

Vale lembrar que por trás de toda compra de um produto existem — de novo — pessoas. E elas querem ser ouvidas e, acima de tudo, priorizadas.

 * Gerente de Digital da Loures

 Siga a Bússola nas redes sociais

Twitter  |    Facebook  |    YouTube

Veja Também

TRENDS: As várias faces do conteúdo
Um conteúdo Bússola
Há 16 horas • 3 min de leitura

TRENDS: As várias faces do conteúdo

ESG: Pesquisas apontam para um planeta em tilt
Um conteúdo Bússola
Há 17 horas • 5 min de leitura

ESG: Pesquisas apontam para um planeta em tilt

Vitor Knijnik: a Era do Siliconwood
Um conteúdo Bússola
Há 2 dias • 3 min de leitura

Vitor Knijnik: a Era do Siliconwood

Mauro Wainstock: o desafio de ser imortal
Um conteúdo Bússola
Há 3 dias • 3 min de leitura

Mauro Wainstock: o desafio de ser imortal