Neonergia usa inteligência artificial para prever falhas no sistema

Com dispostivos monitorados em tempo real, novo centro integrado passa a gerenciar ativos digitais da companhia

O Centro de Gerenciamento de Redes Inteligentes (CEGRI) da Neoenergia, onde gerenciadas todas as operações de telecomunicações e de redes inteligentes das distribuidoras da companhia, passará a concentrar a gestão e monitoramento dos ativo digitais. Isso significa que todos os equipamentos digitais utilizados nas operações das redes de energia, tais como religadores, medidores, sensores e transformadores inteligentes, vão ser geridos no centro. A iniciativa contribui para o controle da performance dos ativos e é integrada ao Centro de Inovação da Iberdrola – controladora da Neoenergia – localizado no Qatar, onde existem supercomputadores que analisam os dados dos equipamentos e contribuem na manutenção preditiva, antecipando possíveis falhas e ocorrências. 

A atualização do CEGRI integra um projeto global da Iberdrola para que os demais centros da companhia ao redor do mundo – Espanha, Reino Unido e Estados Unidos – também passem a monitorar os ativos digitais. No Brasil, são mais de 75 mil dispositivos monitorados. 

“Os dispositivos estão presentes em toda infraestrutura da rede de energia, como postes, subestações e nos medidores dos clientes. Com essa integração dos equipamentos digitais juntamente com as operações de telecomunicações e ativos de redes inteligentes, é possível monitorar tudo em tempo real, identificando problemas antes que eles aconteçam”, afirma Marcel Tolentino, gerente de tecnologia operativa da Neoenergia e responsável pelo CEGRI.

A manutenção preditiva é possível devido ao uso de data analytics em combinação com inteligência artificial. A partir daí, cria-se um algoritmo capaz de prever quando uma falha vai acontecer a partir dos históricos de dados coletados pelos equipamentos, que chega a 10 gigabytes por dia. O desafio está em transformar essa quantidade de dados em informações que possibilitem auxiliar em uma melhor tomada de decisão, e é isso o que os supercomputadores fazem. Localizados no Centro de Inovação da Iberdrola no Qatar, a previsão é que, até o final do primeiro semestre de 2021, esse algoritmo de predição passe por um refinamento para fazer predições com assertividade superior a 90%. 

O resultado é a possibilidade de tomar decisões de modo ágil, o que reforça a confiabilidade das operações e aumenta a capacidade de atuação da distribuidora de forma a diminuir ou evitar impactos de falhas na rede. Outro benefício está no fato de que o atendimento às ocorrências é centralizado em um único local, o que otimiza a eficiência das equipes de campo e dos especialistas do Centro de Operação, que trabalham em conjunto com o CEGRI. 

O Centro de Gerenciamento de Redes Inteligentes fica na Coelba, concessionária da Neoenergia na Bahia, e pode ser operado remotamente a partir das outras três distribuidoras – Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS). A previsão é que, no segundo semestre de 2021, a operação do CEGRI seja integrada também à Neoenergia Distribuição Brasília. 

Siga Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter  |   Facebook   |  Youtube 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.