Marcio de Freitas: O país ensurdecido

Em política, importa muito o conteúdo, contudo, a forma é essencial; mas vale debater com serenidade, já que tudo se tornou um zumbido ininteligível

Por Marcio de Freitas*

Há circunstâncias onde a exaltação sob efeito de palavras vai criando novas escalas, sempre uma oitava acima, e o diálogo se transmuta em gritaria onde o vozerio acaba por ensurdecer completamente todos os envolvidos. O país parece viver atualmente um transe onde é impossível entender o que se fala porque se subiu na escala de forma vertiginosa, o que tornou tudo um zumbido ininteligível.

Em política, importa muito o conteúdo. A forma, contudo, é essencial. Ao colocar em dúvida o componente eletrônico da eleição, a urna, faz-se sempre uma acusação imprecisa. Sempre houve uma teoria da conspiração dançando no redemoinho dos derrotados.

É a primeira vez, no entanto, que um vitorioso lança dúvidas sobre o processo que ganhou. E aponta ao pleito seguinte com uma dúvida vaga.

Se há discussões e pontos técnicos, eles devem ser debatidos. A urna é eletrônica há vários anos. Foi um avanço quando surgiu, mas certamente não é perfeita — o que se comprovou com a evolução dos primeiros modelos até o atual. Prova que pode ser aprimorada.

Lembrando: ao se votar, há a identificação do eleitor com documento que tenha fotografia. Ele então assina a folha de presença diante dos fiscais da mesa e partidários. Vai à urna. A urna registra e salva os votos. Imprime então o registro do eleitor (sem apontar os votos), para conferência com os dados da mesa para possíveis questionamentos.

Pode-se cruzar os dados para verificar os eleitores presentes e ausentes para checagem. Em certos redutos eleitorais, alguns candidatos não têm votos. Outros têm as sobras. Se houvesse discrepâncias e fraudes, provas já teriam aparecido. Mas vale fiscalizar, aprimorar (quando possível) e debater com serenidade.

*Márcio de Freitas é analista político da FSB Comunicação

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também