Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

ÀS SETE - Michel Temer enviou ontem suas respostas ao interrogatório da PF no inquérito que apura irregularidades na edição do decreto dos Portos

Temer responde à PF

O presidente Michel Temer enviou nesta quinta-feira suas respostas ao interrogatório da Polícia Federal no inquérito que apura irregularidades na edição do decreto dos Portos, assinado pelo peemedebista no ano passado. Além de dizer que manteve relação “estritamente institucional” com o setor, Temer aproveitou a ocasião para atacar a PF, chamando o questionário de agressivo e parcial para colocar em dúvida sua “honorabilidade e dignidade pessoal”. “[As perguntas] denotam absoluta falta de respeito e de urbanidade e principalmente ausência das necessárias imparcialidade e isenção por parte de quem deve buscar a verdade real e não a confirmação de uma imaginada responsabilidade”, diz o presidente, dirigindo-se ao ministro do Supremo Tribunal Federal e relator do inquérito, Roberto Barroso. Por fim, Temer negou que tenha requisitado a qualquer um dos acusados favores pessoais em troca da edição do texto.

_

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Julgamento de Lula

O julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no próximo dia 24 será transmitido ao vivo pela internet, anunciou nesta quinta-feira o Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Houve também a confirmação de que Lula não será preso antes que estejam esgotados os recursos possíveis na segunda instância. Mesmo que seja confirmada por unanimidade a condenação dada em julho do ano passado, de nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o petista ainda tem direito a aguardar em liberdade os embargos de declaração. O Ministério Público Federal também informou por meio de comunicado que um “suposto” pedido de prisão cautelar do ex-presidente por parte do órgão não é considerado.

_

Esquerda frouxa

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), líder do PT no Senado, divulgou nesta quinta-feira um vídeo em suas redes sociais reforçando declarações da presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann (PR), de que seria necessário “matar gente” para prender o ex-presidente Lula. Lindbergh criticou petistas que minimizaram as declarações da senadora, que repercutiram mal nas redes e na imprensa. “Vi gente de esquerda dizendo que não era bem isso. O que esse pessoal quer? Será que não entenderam o que está acontecendo no país? Será que acham que estamos vivendo um período de normalidade democrática? Não!”, disse ele. O senador defendeu ainda “uma nova esquerda, pronta para o enfrentamento e lutas de rua, e não uma esquerda frouxa”. A defesa do Judiciário veio a reboque: o juiz federal Marcelo Bretas comentou a postagem em seu Twitter, recriminado Lindbergh por “conclamar grupos de pessoas para atos de violência”.

_

Cabral transferido

O juiz federal Sergio Moro determinou nesta quinta-feira a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) da cadeia pública de Benfica, no Rio, para o complexo médico penal de Pinhais, no Paraná. Moro atendeu a pedido do Ministério Público Federal por regalias no tratamento concedido ao ex-governador, como petiscos de luxo, colchões melhores do que os demais e instalação de uma videoteca à disposição de Cabral. “Há um risco concreto de que ele [Cabral] possa utilizar essas relações para, continuamente, obter ou tentar obter privilégios no cárcere”, diz Moro.

_

JBS vende empresa nos EUA

A empresa de alimentos JBS anunciou um acordo de venda de todas as suas operações de confinamento de gado da Five Rivers Cattle Feeding nos Estados Unidos para afiliadas da Pinnacle Asset Management LP por cerca de 200 milhões de dólares, dando continuidade ao processo de desinvestimento. “A JBS utilizará parcela dos recursos a serem recebidos com a alienação para efetuar amortizações extraordinárias de dívidas no Brasil”, informou a JBS. As ações da companhia fecharam o dia com perdas de 1,23%.

_

Preço do botijão reajustado

O preço do botijão do gás de cozinha (GLP) cairá 5% nesta sexta-feira 19 nas refinarias da Petrobras em todo o país e os reajustes do botijão de até 13 quilos passarão a ser trimestrais, e não mais mensais. A informação foi divulgada hoje pela estatal. As revisões feitas pela Petrobras poderão ou não se refletir no preço final ao consumidor, uma vez que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados.

_

WhatsApp Business

O WhatsApp anunciou que terá uma versão para negócios, chamada de WhatsApp Business. O aplicativo, gratuito, permite destacar a conta como um “perfil empresarial” e ter estatísticas para entender se as estratégias de comunicação das empresas estão funcionando. “Mais de 80% dos pequenos negócios na Índia e no Brasil dizem que o WhatsApp os ajuda a se comunicarem com os clientes”, diz um comunicado da empresa. A versão deve chegar ao Brasil nas próximas semanas e é a primeira grande mudança no uso do app desde que foi comprada pelo Facebook em 2014.

Sanções aos líderes políticos da Venezuela

A União Europeia vai impor sanções econômicas a dezenas de políticos da Venezuela, entre eles o ministro do Interior, o presidente do Supremo Tribunal e o número 2 do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Segundo informações da agência de notícias France Presse, o bloco europeu vai impor as sanções porque está preocupado com as questões de democracia e direitos humanos no país. Durante a formação da Assembleia Nacional Constituinte no ano passado, uma onda de protestos contra o governo deixou 125 mortos e dezenas de presos, incluindo a presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Tibisay Lucena, e o presidente do Tribunal Supremo, Maikel Moreno.

Assassino de rabino

Militarem israelenses mataram um palestino e prenderam outro na região ocupada de Jenin nesta quinta-feira. Ahmed Jarrar, que foi morto a tiros pela polícia israelense, era filho de um ex-comandante do Hamas e teria sido o autor da morte do rabino Raziel Shevah no dia 9 deste mês. A morte de Shevah causou comoção na população israelense, que iniciou uma busca pelos responsáveis. Os policiais demoliram o local em que os autores estavam e iniciaram a troca de tiros. Segundo o Hamas, a causa dos conflitos foi a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer a cidade sagrada de Jerusalém como capital de Israel. A decisão foi tomada em dezembro do ano passado. Desde então, 18 palestinos foram mortos por forças israelenses.

Travis em seus últimos meses no Uber

O ex-presidente do Uber Travis Kalanick teve revelado, nesta quinta-feira, seu comportamento durante os últimos meses no cargo. Segundo a agência de notícias Bloomberg, o executivo teria realizado secretamente lobby para sua empresa, além de chantagear seus funcionários. Ele teria subornado o ex-motorista Fawzi Kamel, que o gravou, em fevereiro, gritando e o reprimindo. Antes de deixar o cargo, eles fizeram um acordo, e Kalanick pagou uma indenização de 200.000 dólares próprios para o ex-motorista.

Amazon revela candidatas para próxima unidade

A empresa de comércio eletrônico Amazon revelou, nesta quinta-feira, as 20 cidades que poderão receber um novo escritório da companhia que funcionaria como uma segunda sede. Entre elas estão cidades dos estados americanos de Boston, Chicago, Ohio, Dallas, Atlanta, Austin e Denver. Ao todo, 238 cidades se inscreveram para receber a nova unidade, que promete trazer um investimento de 5 bilhões de dólares e 50.000 novos empregos. Segundo a empresa, a nova rodada de avaliação vai levar em conta o compromisso das cidades em criar parcerias com a companhia, além dos benefícios para os funcionários e para a comunidade local.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.