STF dá 5 dias para Bolsonaro prestar informações sobre Copa América

A determinação de Lewandowski foi tomada em uma ação na qual o PT tenta interromper os preparativos para a realização do torneio de futebol previsto para ocorrer nas próximas semanas
Copa América no Brasil: a decisão de realizar o torneio no país - um evento privado da Conmebol - tem sido alvo de críticas diante do momento da pandemia de covid-19 (AFP/EVARISTO SA / AFP)
Copa América no Brasil: a decisão de realizar o torneio no país - um evento privado da Conmebol - tem sido alvo de críticas diante do momento da pandemia de covid-19 (AFP/EVARISTO SA / AFP)
Por ReutersPublicado em 01/06/2021 13:55 | Última atualização em 01/06/2021 13:55Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu prazo de cinco dias corridos para que o presidente Jair Bolsonaro apresente informações a respeito da realização da Copa América no Brasil.

"Considerando a importância da matéria e a emergência de saúde pública decorrente do surto do coronavírus, bem como a urgência que o caso requer, solicitem-se prévias informações ao presidente da República no prazo legal", despachou o ministro do STF.

A determinação de Lewandowski foi tomada em uma ação na qual o PT tenta interromper os preparativos para a realização do torneio de futebol previsto para ocorrer nas próximas semanas.

A decisão de realizar o torneio no país - um evento privado da Conmebol - tem sido alvo de críticas diante do momento da pandemia de covid-19, com elevado número de casos e mortes no momento.

Mesmo assim, desde a véspera, o governo federal tem apoiado à realização do evento. Nesta terça mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro disse que, no que depender da sua gestão, será realizada a Copa América no Brasil.

Além da ação movida pelo PT, outro partido de oposição, o PSB, recorreu ao STF para tentar barrar o evento esportivo no país. O torneio iria ser realizado conjuntamente por Argentina e na Colômbia, que declinaram sediá-lo.

  • Entenda como os julgamentos do STF afetam seus investimentos. Assine a EXAME.