Sismo de 7,1 cortou energia de parte de usinas do Japão

Mas a agência, citando informações das autoridades japonesas, disse que depois do sismo faltou energia em algumas outras instalações nucleares do país

Viena - Nenhuma alteração na radiação foi detectada na usina de energia nuclear Fukushima Daiichi depois do terremoto desta quinta-feira e a injeção de água nos vasos de pressão do reator não foi interrompida, disse a Agência Internacional de Energia Nuclear (AIEA).

Mas a agência, citando informações das autoridades japonesas, disse que depois do sismo faltou energia em algumas outras instalações nucleares do país.

O Centro de Segurança Sísmica Internacional classificou o novo terremoto como de magnitude 7,1, segundo comunicado divulgado em sua sede em Viena.

"O epicentro do terremoto foi a 20 quilômetros da central de energia nuclear de Onagawa e a aproximadamente 120 quilômetros das usinas de Daini e Daiichi Fukushima", acrescentou.

Duas das três linhas de suprimento de energia para Onagawa saíram de operação. "Energia proveniente de fora continua a ser suprida pela terceira linha", diz o comunicado, acrescentando que a situação da central de Onagawa está sendo averiguada.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.