Senado aprova voto de pesar pela morte de Hugo Chávez

Em apoio ao requerimento, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) lembrou a história de Chávez e seu legado social para a Venezuela

Brasília - O plenário do Senado aprovou hoje (6) voto de pesar pela morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. O requerimento foi apresentado pelo presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE) da Casa, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), e subscrito por outros parlamentares, dentre eles o ex-presidente da comissão Fernando Collor (PTB-AL).

“Pelas relações que mantemos com a Venezuela, por tudo o que representa a Venezuela nas relações com o nosso país e para a nossa região, pela liderança que desenvolveu e desempenhou o presidente Hugo Chávez, julgo ser absolutamente meritório e necessário que o Senado da República possa, de forma institucional, apresentar os seus votos de condolência e pesar à população da Venezuela”, defendeu Ferraço.

Em apoio ao requerimento, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) lembrou a história de Chávez e seu legado social para a Venezuela. “Chávez deu voz àqueles que não tinham e transformou os venezuelanos mais pobres em cidadãos, passando a serem sujeitos da história”, disse o senador.

Suplicy ainda manifestou desejo de que o país consiga fazer um processo tranquilo de transição para um novo presidente. “Que possa o povo venezuelano superar as dificuldades, e que possam eles, até a oposição e os chavistas, fazer um processo democrático exemplar nestes próximos 30 dias, e possa o povo da Venezuela elevar o grau de democracia e de desenvolvimento econômico e social”, disse Suplicy.

O voto de pesar foi aprovado em votação simbólica, após outras manifestações favoráveis entres os senadores presentes. Ontem, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), já havia declarado que Chávez foi um “amigo do Brasil”, ao anunciar a morte do líder venezuelano durante a sessão do Congresso Nacional.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.