Sargento impediu massacre maior, diz Cabral

Segundo o governador do Rio, o sargento Alves trocou tiros com o invasor da escola e impediu uma tragédia maior

São Paulo - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), chamou hoje de "herói" o sargento da Polícia Militar que trocou tiros com o invasor que abriu fogo na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na zona oeste da cidade. Segundo Cabral, o sargento Alves impediu um massacre maior ao atingir a perna do atirador, que depois teria se matado. Cabral ainda referiu-se ao atirador como "psicopata" e "animal".

O governador prestou solidariedade às famílias das vítimas da tragédia que aconteceu nesta manhã. Ele deu a declaração na quadra de esportes da escola, ao lado do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), e também informou que já falou com a presidente Dilma Rousseff a respeito do episódio. Paes acrescentou que a escola não será fechada, mas que as aulas estão suspensas.

O secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, informou que estão confirmadas as mortes de 11 pessoas. Segundo o secretário, entre os mortos estão dez crianças - nove meninas e um menino, com idades de 12 a 14 anos - e o atirador. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros informou que 13 pessoas haviam morrido.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.