Brasil
Acompanhe:

Restrição na transferência e demanda causaram queda, diz ONS

Em nota, o ONS explica que esses dois problemas levaram à redução na frequência elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN), mesmo havendo "folga de geração"


	Energia: por causa da queda na frequência, ocorreu a perda de usinas geradoras
 (Reuters/Ina Fassbender)

Energia: por causa da queda na frequência, ocorreu a perda de usinas geradoras (Reuters/Ina Fassbender)

V
Vinicius Neder

Publicado em 19 de janeiro de 2015, 18h31.

Rio - Problemas na transferência de energia das regiões Norte e Nordeste para o Sudeste e a elevação da demanda no horário de pico provocaram os cortes na oferta de energia elétrica nesta segunda-feira, 19, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Em nota, o ONS explica que esses dois problemas levaram à redução na frequência elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN), mesmo havendo "folga de geração".

"A frequência elétrica caiu a valores da ordem de 59 Hz, quando o normal é 60 Hz", diz a nota do ONS.

Por causa da queda na frequência, ocorreu a perda de usinas geradoras de energia.

De acordo com a ONS, foram atingidas as usinas Angra I, Volta Grande, Amador Aguiar II, Sá Carvalho, Guilman Amorim, Canoas II, Viana e Linhares (Sudeste); Cana Brava e São Salvador (Centro-Oeste); e Governador Ney Braga (Sul).

No total, foram afetados 2.200 MW, nessas três regiões.

A determinação para que as distribuidoras de eletricidade reduzissem sua carga de energia teve como objetivo "restabelecer a frequência elétrica às suas condições normais".

Segundo a nota do ONS, foram atingidos "menos de 5%" da carga do SIN.

A situação foi totalmente normalizada às 15h45.

O ONS confirmou que foi convocada para esta terça-feira, 20, às 14h30, no Rio, uma reunião com todos os agentes envolvidos para analisar a ocorrência, conforme antecipou o Broadcast.