Prefeitura de SP vai construir 19 miniusinas de produção de oxigênio

As usinas serão construídas até o fim de abril em unidades de saúde da capital paulista para dispensar o transporte de oxigênio em cilindros
 (Paul Hanna/Bloomberg)
(Paul Hanna/Bloomberg)
Por Gilson Garrett JrPublicado em 25/03/2021 12:44 | Última atualização em 25/03/2021 12:48Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A prefeitura de São Paulo anunciou que vai construir 19 miniusinas capazes de produzir oxigênio dentro das próprias unidades de saúde. De acordo com o prefeito Bruno Covas (PSDB), o objetivo é não precisar de transporte e garantir o fornecimento ininterrupto.

A construção será feita em duas etapas, a primeira, em 7 unidades de saúde, ficará pronta até o dia 15 de abril, e a restante até o fim de abril. Toda a estrutura será capaz de garantir o fornecimento de oxigênio para 596 leitos de enfermaria e 211 de UTI. 

Todas as usinas vão produzir 9 mil metros cúbicos de oxigênio por dia, o que equivale a 900 cilindros. Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, não há desabastecimento de oxigênio na cidade, mas pela alta necessidade no momento, o transporte pode dificultar a agilidade no fornecimento. Em março, a demanda aumentou 121%, se comparado com janeiro.

Além das usinas de oxigênio, a cidade vai abrir mais 60 leitos de UTI e 180 leitos de enfermaria, todos referenciados para covid-19. Também está nos planos da prefeitura a abertura de outros 55 leitos para atendimento a pacientes que não estão com a covid-19. Todos os leitos estarão em funcionamento até o fim de abril.

Vacinação

A prefeitura vai iniciar a imunização de idosos entre 69 e 71 nesta sexta-feira, 26. A aplicação é feita em todas as unidades de saúde da cidade, e nos 19 postos de drive-thru. Na quarta-feira, 24, o estado de São Paulo anunciou que vai começar a vacinar policiais e professores contra a covid-19 a partir do dia 5 de abril.

A imunização tem início com as forças de segurança. Nesta etapa estão 180 mil agentes, entre policiais militares, policiais civis, bombeiros e guardas municipais. Já os profissionais da educação serão vacinados a partir do dia 12 de abril. Mais de 5 milhões de pessoas no estado de São Paulo já receberam pelo menos a primeira dose da vacina contra a covid-19.

Serão imunizados todos os profissionais das redes pública e privada de ensino infantil, fundamental, médio e superior. A primeira etapa deve alcançar um total de 350 mil pessoas, incluindo professores, funcionários das escolas e diretores. O governo vai começar com a educação básica, para pessoas com mais de 47 anos. No caso da rede privada, será exigido contracheque de pelo menos dois meses de trabalho. Em breve o estado vai divulgar a data de início para fazer o pré-cadastro de vacinação desses novos grupos.