Prefeitura de São Paulo anuncia se aulas voltam este ano ou só em 2021

Prefeito Bruno Covas vai divulgar o resultado de um inquérito sorológico que identifica quantas crianças já tiveram covid-19 na cidade
 (Adriano Machado/Reuters)
(Adriano Machado/Reuters)
Por Gilson Garrett Jr.Publicado em 17/09/2020 06:00 | Última atualização em 16/09/2020 23:21Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vai anunciar nesta quinta-feira, 17, quando e de que forma será o retorno das aulas presenciais nas redes municipal, estadual e privada na capital paulista. Uma coletiva de imprensa está marcada para às 12 horas.

Apesar do governo do estado ter dado o aval para a retomada das atividades desde o dia 8 de setembro, a prefeitura preferiu esperar o resultado da última etapa de um inquérito sorológico que pretende indenficar quantas crianças e jovens já tiveram a covid-19 na cidade.

A primeira fase da testagem, feita apenas com alunos da rede municipal, mostrou que 18,9% das crianças de 4 a 14 anos já foram infectadas pelo coronavírus. A segunda etapa de testes, cujos resultados serão apresentados hoje, envolve estudantes das redes privada e estadual.

O secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, criticou, em entrevista na quarta-feira, o inquérito sorológico como ferramenta para definir a volta às aulas. "O indicador não deve ser o único. É importante ter protocolos de volta gradual. Nós estaremos à mesa para discutir com a prefeitura de São Paulo, respeitando a autonomia", disse ele no Palácio dos Bandeirantes.

Em nota divulgada na quarta-feira, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente avalia que é "precipitada" a retomada das atividades presenciais das escolas púbicas e particulares neste momento. O Conselho defende que a volta só seja feita seguindo critérios mínimos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em entrevista coletiva na inauguração do Hospital Municipal Bela Vista, na tarde de quarta-feira, 16, Covas disse que a prefeitura ainda estava avaliando todas as possibilidades de retorno das atividades escolares junto às Secretarias de Educação e da Saúde.

Tudo indica que a estratégia adotada pelo município deverá ser muito similar ao protocolo do estado, mas com a diferença que ocorreria um mês depois. Se isso se confirmar, a partir do dia 7 de outubro, a cidade permitiria a retomada de atividades de reforço e extracurriculares. E apenas em novembro  haveria a liberação das aulas regulares.