Peritos médicos do INSS começam greve nacional

Categoria reivindica a recomposição salarial de quase 20% para repor a inflação de três anos
 (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 30/03/2022 às 17:54.

Última atualização em 30/03/2022 às 17:57.

Os peritos médicos do INSS iniciaram nesta quarta-feira, 30, uma greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam a recomposição salarial de quase 20% para repor a inflação de três anos, melhoria no plano de carreira e realização de concurso para contratar novos profissionais.

A Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais afirmou, por nota, que o movimento foi instaurado "única e exclusivamente em virtude da postura completamente omissa e desrespeitosa adotada por parte do governo federal, na pessoa do ministro Onyx Lorenzoni" em relação às reivindicações da categoria.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

Segundo a associação que representa os peritos médicos, eles foram surpreendidos pela ruptura do acordo firmado com o governo após mais de dois meses de negociação. Cerca de 3,2 mil profissionais em todo país vão parar.

O que pedem os peritos:

- Recomposição salarial relativa às perdas inflacionárias de 2019 a 2022 (19,99%);

- Edição do decreto que regulamenta a carreira e permita o desenvolvimento funcional anual dos peritos;

- Promoção imediata de concurso público para a recomposição dos quadros da carreira, cuja defasagem chega a 3 mil servidores;

- Readequação da estrutura física das agências da Previdência Social, que, segundo eles, foram reabertas de modo precipitado e sem as condições sanitárias adequadas;

- Melhoria de aspectos operacionais da perícia;

- Fim da "teleperícia" (perícia médica com uso de telemedicina).