Pandemia está no pior momento e nenhuma medida é descartada, diz Doria

Governo do estado vai anunciar nesta quarta-feira, 3, novas medidas de restrição de circulação. De acordo com Doria, lockdown não está descartado

“O estado de São Paulo está na pior semana de todas da pandemia de covid-19”. A frase foi dita pelo governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva no fim da manhã desta terça-feira, 2, durante a abertura do novo ponto de vacinação drive-thru da capital paulista, no estádio do Morumbi.

Os dados divulgados pela Secretaria da Saúde do estado também confirmam a fala de Doria. O número de pessoas internadas em UTI chegou ao mais alto patamar desde o início da pandemia, com 7.173. O valor é 14% maior que o pico, registrado em junho do ano passado. Grande parte dessas internações é de jovens, com quadros mais complicados e que ficam internados por mais tempo. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 74% em todo o estado.

Com estes números, o governo do estado deve anunciar novas medidas de restrição de circulação. Na tarde desta terça-feira os membros do Centro de Contingência da Covid-19 se reuniram para falar sobre os dados mais atualizados e sugerir a Doria a adoção de uma fase mais restrita que a vermelha da quarentena, em que somente os serviços essenciais podem funcionar.

Segundo o governador, nada está descartado, incluindo o lockdown, mas a decisão ainda não foi tomada. O que será definido será anunciado em coletiva de imprensa no começo da tarde de quarta-feira, 3, disse Doria.

Não se descarta nenhuma medida, desde que elas sejam embasadas pela ciência e pela saúde. Considerando os dados que foram agregados de ontem e estamos, de fato, na pior semana de todas as semanas da covid-19. E isso precisa ser levado em conta. Isso não apenas em São Paulo mas em outros estados também. Há uma preocupação generalizada. O que o Centro de Contingência deliberar nós anunciaremos na coletiva de imprensa amanhã [quarta-feira]”, afirmou.

Na segunda-feira, o coordenador do comitê de saúde paulista, Paulo Menezes, alertou que a situação é extremamente crítica e que a restrição de circulação vai afetar todo o estado, incluindo a Grande São Paulo.

“Sem dúvida é extremamente preocupante o que nós estamos observando. A transmissão é muito alta e a principal forma é reduzir o contato. Estamos discutindo ter uma classificação mais restritiva que a vermelha”, disse.

Entidade pede lockdown em SP

Na última semana, a Sociedade Paulista de Infectologia publicou uma manifestação alertando justamente para a circulação da variante não só de Manaus, mas de outras existentes do coronavírus, que trazem um potencial de uma propagação mais rápida da doença.

“As atuais medidas de controle da pandemia em vigor no Plano São Paulo [quarentena do estado] mostram-se insuficientes para reduzir a transmissão do vírus. Assim sendo, solicitamos políticas públicas que incluam maior rigidez no distanciamento social e controle de mobilidade populacional. Essas medidas requerem restrições maiores a serviços não essenciais em regiões do estado sem acometimento crítico pela pandemia, e lockdown com toque de recolher prolongado”, pede a entidade.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.