Os números “malcheirosos” da gestão de lixo no Brasil

Falta de vontade política com relação ao manejo de resíduos resulta em contaminação a céu aberto e riscos à saúde. Veja o descaso em grandes números

São Paulo – Sete anos após o Brasil sancionar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que entre outras medidas determinava o fim dos lixões a céu aberto, pouco mudou no cenário de gestão de resíduos.

Em 2016, o país gerou 78,3 milhões de toneladas de lixo urbano. Os municípios brasileiros coletaram 91% desse total, mas enviaram quase metade dos resíduos para aterros e lixões de baixa segurança, colocando em risco a saúde do meio ambiente e da população.

Os dados “malcheirosos” são da nova edição do estudo Panorama dos Resíduos Sólidos, lançado  pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Veja no infográfico abaixo os números do gargalo do setor.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.