Operadoras apontam 'gargalos' no caminho do 5G

Operadoras terão de correr para colocar em prática seus planos de negócios e ganhar dinheiro com a nova tecnologia
 (Isac Nóbrega/PR/Flickr)
(Isac Nóbrega/PR/Flickr)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 08/11/2021 09:49 | Última atualização em 08/11/2021 09:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Com o leilão do 5G definido, as operadoras de telecomunicações terão de correr agora para fazer frente aos compromissos de implementação das redes definidos pelo governo e colocar em prática seus planos de negócios para ganhar dinheiro com a nova tecnologia. Para isso, porém, o setor terá de superar alguns "gargalos".

Um deles é a escassez de mão de obra qualificada, na avaliação de Luiz Henrique Barbosa, presidente da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações (Telcomp). "Existem mais de 400 mil vagas abertas no ramo de telecomunicações, de tecnologia da informação, que não são preenchidas por falta de profissionais qualificados", afirma ele.

A pandemia mexeu com a economia e os negócios no mundo todo. Descubra aqui com a EXAME como proteger seu patrimônio

Segundo Barbosa, a falta desses profissionais capacitados abrangeria de desenvolvedores de aplicativos para explorar as novas funcionalidades do 5G a técnicos que trabalham com a instalação de equipamentos.

Outro gargalo apontado pelo setor diz respeito à burocracia para instalação de antenas nos municípios. Embora exista legislação federal orientando o licenciamento de novas estações rádio-base, são as leis municipais que definem as regras de instalação.

Um levantamento realizado pela Conexis, o sindicato patronal das grandes operadoras, apontou que apenas 7 das 27 capitais brasileiras teriam legislações consideradas "modernas" para instalação de infraestrutura. Nos outros casos, as regras apresentariam defasagem, conflitos e excesso de burocracia.

"O 5G vai exigir de 5 a 10 vezes mais antenas do que o 4G, considerando a mesma área de cobertura, mas são antenas pequenas que podem ser instaladas nas fachadas dos edifícios", afirma o presidente executivo da Conexis, Marcos Ferrari.

Veja Também

Leilão oferece 48 imóveis com lance mínimo de R$ 50 mil
Mercado imobiliário
Há um dia • 2 min de leitura

Leilão oferece 48 imóveis com lance mínimo de R$ 50 mil

Leilão oferece BMW blindado por lance inicial de R$ 8,5 mil
Minhas Finanças
Há 2 dias • 1 min de leitura

Leilão oferece BMW blindado por lance inicial de R$ 8,5 mil

Leilão da Caixa tem imóveis em São Paulo com descontos de 70%
Mercado imobiliário
Há 2 dias • 2 min de leitura

Leilão da Caixa tem imóveis em São Paulo com descontos de 70%