No Twitter, Eduardo Cunha (PMDB) pede nova CPMI da Petrobras

Após ser relacionado ao esquema de corrupção da Petrobras, favorito para a presidência da Câmara defende nova CPMI para investigar a estatal

São Paulo -O líder do PMDB na Câmara e favorito para assumir a presidência da Casa, Eduardo Cunha, defendeu em sua conta no Twitter a abertura de uma nova CPMI para investigar o escândalo de corrupção na Petrobras.

O anúncio aconteceu após reportagem do  jornal Folha de S. Paulo afirmar que ele  teria sido citado na lista de envolvidos no esquema, segundo depoimentos prestados por Alberto Yousseff e pelo policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho.

De acordo com a publicação, o Ministério Público Federal pode pedir que o STF (Supremo Tribunal Federal) abra uma investigação contra o deputado federal. 

Ele, contudo, nega qualquer envolvimento e afirma que não tem nada a temer com a abertura de uma nova CPMI:

Ontem, também em sua conta no Twitter, ele afirmou que o vazamento da denúncia seria motivado por interesse político em um momento em que ele disputa a presidência da Câmara. 

Cunha é o líder do PMDB na Câmara e disputa a presidência da Casa para o próximo biênio. O governo, contudo, não apoia a candidatura por considerá-lo um adversário político. No ano passado, Cunha comandou a revolta da base aliada por mais participação no governo. 

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, o governo estaria tentando negociar um acordo para manter o rodízio entre PT e PMDB no comando da Casa. Arlindo Chinaglia (PT-SP) é o candidato do governo. A eleição para a presidência da Câmara acontece no dia 2 de fevereiro. 

Além dele, outros 29 políticos também teriam sido citados em depoimentos da Operação Lava Jato

Dois dias antes do recesso dos parlamentares, a CPI mista da Petrobras encerrou suas atividades. O relatório final pediu o indiciamento de 52 pessoas

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também