Motoristas prometem parar ônibus da meia noite às 8h em SP

Sindicato da categoria confirmou participação na greve geral de amanhã contra as reformas previdenciária e trabalhista do governo Temer
Terminal de ônibus Dom Pedro II: motoristas e cobradores confirmam participação na greve geral de amanhã (Getty Images/Getty Images)
Terminal de ônibus Dom Pedro II: motoristas e cobradores confirmam participação na greve geral de amanhã (Getty Images/Getty Images)
B
Bárbara Ferreira SantosPublicado em 14/03/2017 às 12:29.

São Paulo -- Os motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo prometem parar os ônibus da capital paulista da meia noite às 8 horas de amanhã, dia 15 de março, em apoio à greve geral contra as reformas previdenciária e trabalhista propostas pelo governo Michel Temer (PMDB).

Segundo o presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, Valdevan Noventa, todas as linhas de ônibus da capital serão paralisadas nesse período. "Esse é o primeiro choque que vamos dar. Quem sabe, na próxima será maior", afirmou a EXAME.com por telefone.

Ele disse que, a partir das 8 horas, os ônibus serão aos poucos liberados das garagens e voltarão a circular na cidade. "Creio que só normalizará totalmente ao meio dia", afirmou.

O presidente do sindicato explicou ainda que integrantes da categoria vão participar do protesto geral na Avenida Paulista, marcado para as 16 horas de amanhã. Os motoristas e cobradores vão sair em carreata da porta do sindicato, que fica no bairro da Liberdade, no centro, e passarão pelo Viaduto Pedroso e pela Av. Brigadeiro Luís Antônio até chegarem ao Masp, ponto de encontro do ato.

Em todo o dia de amanhã, diversos sindicatos e categorias trabalhistas farão uma greve geral, chamada de Dia Nacional de Paralisação e Mobilização, em manifestação contra as reformas da previdência e do trabalho propostas pelo governo federal. Na capital paulista, os metroviários prometem parar cinco linhas de metrô durante todo o dia.