Ministério da Saúde libera 8,7 mi para hospitais no RJ

Segundo o ministro, 300 médicos, enfermeiros e técnicos ficarão de prontidão na região para atender as vítimas das enchentes

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou nesta quinta-feira no Rio de Janeiro o repasse de 8,7 milhões de reais ao estado para assistência hospitalar e instalação de dois hospitais de campanha. Nova Friburgo receberá 2,1 milhões de reais; Petrópolis, 4,7 milhões; e Teresópolis, 1,9 milhão. A verba é resultado da antecipação do teto orçamentário de cada município.

Segundo o ministro, 300 médicos, enfermeiros e técnicos ficarão de prontidão na região para atender as vítimas das enchentes. “Todas as equipes dos hospitais federais e equipes que foram mobilizadas para Alagoas, Pernambuco e Haiti estão à disposição do governo do estado do Rio de Janeiro para serem destacadas”, afirmou Padilha.

Férias e licenças de todos os profissionais de saúde que tenham perfil para o atendimento serão suspensas. As cirurgias marcadas sem caráter emergencial em hospitais públicos poderão ser canceladas, quando houver casos mais graves para atendimento. “Determinamos que toda a rede de hospitais federais do Rio, composta por seis estabelecimentos, esteja aberta e com prioridade para o atendimento a vítimas daquela região”, disse o ministro.

Nesta quinta-feira, 11 ambulâncias da rede federal de saúde foram enviadas para as três cidades. Foram colocados à disposição das vítimas das chuvas 80 leitos de enfermaria. A estrutura montada pelo Ministério da Saúde possibilita a realização de 25 cirurgia ortopédicas, sendo que já há 23 pacientes da região serrana internados.

Um Gabinete de Crise foi montado pelo ministério da Saúde para que monitore as ações na serra. Apesar de todo o aparato, Padilha lembra que a precariedade da região exige ainda outros esforços. “Solicitamos a toda a área de infraestrutura para oferta de água para a população. Peço esforço para restabelecer a oferta de água sobretudo nos hospitais. Ontem, não foi possível realizar procedimentos médicos em um dos hospitais de Nova Friburgo porque estava absolutamente danificado.”

Padilha também fez um apelo por doações de sangue. Na manhã desta sexta-feira, o ministro e outros 50 voluntários irão ao Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio) para doar sangue às vítimas. Nesta quinta, ele esteve estava na comitiva da presidente Dilma Rousseff que sobrevoou as regiões mais atingidas pelas chuvas e pôde ver de perto o cenário da catástrofe.
 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.