Brasil

Mario Frias recebe alta após uma semana internado

Segundo boletim médico, ele apresenta quadro estável, mas continuará em acompanhamento ambulatorial com cardiologista

Mario Frias: ex-ministro recebeu alta (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Mario Frias: ex-ministro recebeu alta (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 13 de julho de 2022 às 14h01.

Última atualização em 13 de julho de 2022 às 14h06.

O ex-secretário especial da Cultura Mario Frias recebeu alta hospitalar nesta terça-feira, 12, após passar uma semana internado em decorrência de um enfarte agudo do miocárdio. Segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Santa Lúcia, localizado em Brasília, ele apresenta quadro estável, mas continuará em acompanhamento ambulatorial com cardiologista.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

“Graças a Deus tive alta hoje. Já estou em casa com minha família. Foram dias muito difíceis, de dor e de muita agonia. Agradeço por todas as orações e mensagens ao longo desses dias, sou muito grato por todo o carinho que sempre recebi, por todo apoio e todo cuidado”, publicou Frias na terça-feira. Ele foi liberado do hospital por volta das 16 horas.

Frias vinha passando por exames e monitorava problemas cardíacos nas semanas anteriores à sua internação. Ele já havia sido internado por causa de um princípio de enfarte em maio de 2021. Tanto naquela ocasião quanto na mais recente, ele teve de passar por cateterismo.

Frias foi exonerado da Secretaria da Cultura para concorrer a deputado federal nas eleições deste ano. Em seu lugar, assumiu o número 2 da pasta, Hélio Ferraz de Oliveira.

(Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM

Acompanhe tudo sobre:Doenças do coraçãoPolíticos brasileiros

Mais de Brasil

Justiça determina prisão de 98 anos a Renato Duque, ex-diretor da Petrobras

Prouni 2024: inscrições para vagas do 2º semestre começam na próxima terça, 23

Letalidade policia cresce 188% em 10 anos; negros são as principais vítimas, aponta Anuário

⁠Violência doméstica contra a mulher cresce 9,8% no Brasil, aponta Anuário de Segurança Pública

Mais na Exame