Brasil
Acompanhe:

Lula embarca à Argentina, sua 1ª viagem internacional

Viagem mira uma espécie de "relançamento" da relação bilateral com o país vizinho

Alberto Fernández e Lula: presidentes acabam de anunciar intenção de moeda sul-americana (Presidency of Argentina/Handout/Anadolu Agency/Getty Images)

Alberto Fernández e Lula: presidentes acabam de anunciar intenção de moeda sul-americana (Presidency of Argentina/Handout/Anadolu Agency/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

22 de janeiro de 2023, 21h14

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) embarcou neste domingo, 22, para Buenos Aires, capital da Argentina, e dá início, assim, à primeira viagem internacional do novo mandato. Antes de entrar no avião, o petista transmitiu o cargo para o vice-presidente Geraldo Alckminestad (PSB), que estará na presidência interina do País até a próxima quarta-feira.

Diante do anseio do novo governo de fortalecer a política externa brasileira com foco na América Latina, a viagem mira uma espécie de "relançamento" da relação bilateral com o país vizinho. Lula e o presidente da Argentina, Alberto Fernández, vão discutir a possibilidade de adotar uma moeda comum para transações financeiras e comerciais, bem como formas de trazer o gás de xisto da região de Vaca Muerta para o Brasil.

A comitiva presidencial conta com seis ministros: Mauro Vieira (Relações Internacionais), Fernando Haddad (Fazenda), Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social), Nísia Trindade (Saúde), Márcio Macêdo (Secretaria-Geral) e Luciana Santos (Ciência e Tecnologia).

LEIA TAMBÉM: Lula e Fernández confirmam intenção de criar moeda comum da América do Sul

Nesta segunda-feira, 23, Lula terá reuniões bilaterais com Fernández e empresários. Na terça-feira, 24, estão previstas a participação na cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a realização de bilaterais com outros líderes mundiais, como os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e de Cuba, Miguel Díaz-Canel.

Lula devolveu o País à Celac em 5 de janeiro, três anos após o ex-presidente Jair Bolsonaro, aconselhado pelo ex-chanceler Ernesto Araújo, decidir pela saída do órgão.

Já na quarta-feira, 25, antes do retorno a Brasília, Lula e sua comitiva passam por Montevidéu, capital do Uruguai, para um almoço com o presidente Lacalle Pou.