Lula defende que bancos públicos prestem "função social"

"Vamos voltar com objetivo de fazer bancos públicos virarem bancos públicos. Não queremos que bancos públicos tenham nenhum prejuízo, mas não queremos que tenham os mesmos lucros dos bancos privados", afirmou Lula
O petista voltou a defender a concessão de empréstimos do BNDES a pequenas e médias empresas (Gustavo Minas/Bloomberg/Getty Images)
O petista voltou a defender a concessão de empréstimos do BNDES a pequenas e médias empresas (Gustavo Minas/Bloomberg/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 17/08/2022 às 14:29.

Última atualização em 17/08/2022 às 16:23.

Em evento com micro e pequenos empresários em São Paulo, o candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu nesta quarta-feira, 17, que bancos públicos sejam enquadrados e reduzam a margem de lucro.

"É preciso que a gente enquadre o Banco do Brasil. Vamos voltar com objetivo de fazer bancos públicos virarem bancos públicos. Não queremos que bancos públicos tenham nenhum prejuízo, mas não queremos que tenham os mesmos lucros dos bancos privados. Eles têm que prestar função social", afirmou Lula.

A declaração vem após reiteradas críticas do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição e principal adversário do PT nas eleições, aos lucros da Petrobras e seus impactos sobre o preço da gasolina na ponta da linha.

De acordo com Lula, em um eventual novo governo, irá orientar a instituição. "Banco do Brasil parece bonzinho se tiver orientação governamental. Se não tiver, a burocracia do banco pensa como banco privado", afirmou o candidato.

O petista ainda voltou a defender a concessão de empréstimos do BNDES a pequenas e médias empresas. "O BNDES vai ter que deixar de fazer empréstimos para grandes empresas e vai se dedicar a emprestar para as pequenas."

LEIA TAMBÉM:

Lula diz que, se eleito, vai 'conversar com todo mundo'

Lula e Bolsonaro brigam por eleitorado cristão no primeiro dia de campanha