Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Lindbergh e Medeiros discutem por comentário de Gleisi à TV Al Jazeera

Quando questionava ação da senadora, José Medeiros foi interrompido por Lindbergh Farias e acusado de "ignorância"

Modo escuro

Continua após a publicidade
Gelisi: senadora petista convidou a todos os espectadores a lutar pela libertação de "grande amigo do mundo árabe" Lula (Paulo Whitaker/Reuters)

Gelisi: senadora petista convidou a todos os espectadores a lutar pela libertação de "grande amigo do mundo árabe" Lula (Paulo Whitaker/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 18 de abril de 2018 às, 21h51.

Última atualização em 19 de abril de 2018 às, 08h48.

No plenário do Senado, o senador José Medeiros (PSD-MT) lamentou a gravação da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), à rede de TV catari Al-Jazeera. Ele disse que interpretou a fala da parlamentar em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como "um recado muito estranho" e que "espera que o PT não queira transformar um país pacífico em zona de guerra".

"O Brasil é um país amigo do mundo árabe. Nós temos respeito por todas as religiões; agora, nós também somos um país que não tem contato com nenhum radicalismo, com nenhum fundamentalismo. E foi muito estranho o vídeo que a Senadora fez. Pareceu-me muito um recado subliminar. A quem era dirigido aquilo?", questionou.

Ele foi interrompido por Lindbergh Farias (PT-RJ), que disse que a fala representava uma "ignorância". "Perdoe a ignorância", repetia Lindbergh. "O senhor não é Presidente do Senado Federal, Senador Lindbergh. O senhor não pode tomar minha fala", reagiu Medeiros. O presidente em exercício da Casa, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), interveio para que o senador mato-grossense prosseguisse.

"Se (Gleisi) quisesse se comunicar com o mundo árabe, nós temos todas as embaixadas aqui, e a Senadora poderia falar inclusive com os embaixadores. O recado foi estranho, e eu aconselho que os brasileiros possam ver o vídeo, o perigo que é. Então eu quero dizer: se algum fundamentalista, se algum fundamentalista, insuflado por aquele vídeo, cometer algum ato terrorista, está no CNPJ e no CPF dessa Senadora", continuou Medeiros.

Lindbergh argumentou que a TV Al Jazeera é uma das maiores do mundo. "Sabe quem deu entrevista lá? (Barack) Obama, Presidente dos Estados Unidos. Repercussão em todo mundo, porque a TV Al Jazeera atinge cem países. A Senadora Gleisi está falando para as TVs do mundo inteiro. Quando fala para TV da Europa ninguém reclama. Para TV norte-americana... Agora, para TV Árabe, falando de uma campanha de solidariedade ao Presidente Lula, sabem o que começam a dizer? Estão falando em Estado Islâmico. Gente, sabem qual é o nome disso? Xenofobia, preconceito. Vocês estão achando que por ser árabe é terrorista, é fundamentalista" disse Lindbergh.

O senador Magno Malta comentou que sabe que os senadores do PT "conhecem a Constituição e sabem onde é que está o nosso limite" mas disse que pessoalmente "tem medo" que o vídeo seja interpretado de maneira equivocada.

"A Senadora Gleici não é louca de ter dado aquela entrevista à Al Jazeera, incitando o ISIS, incitando qualquer tipo de grupo terrorista, para que venha ao Brasil, fazer um terrorismo maior do que aquele que o MST está fazendo nas fazendas do Brasil, achando que, com isso, vai intimidar o Poder Público, vai intimidar o Supremo Tribunal Federal, vai intimidar o Ministério Público Federal... Não vai!", disse.

"O meu medo pessoal é que eles entendam que estão pedindo auxílio para uma reação. Para uma reação. Esse é medo pessoal. Meu. Esse é medo meu. Agora, sei perfeitamente que a Senadora, que é presidente de um partido e que conhece a Constituição brasileira, sabe exatamente o que a Constituição determina", afirmou Malta.

No vídeo, a senadora Gleisi Hoffmann denuncia que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria um "preso político" no Brasil. Na gravação, Gleisi diz que "o objetivo da prisão é não permitir que Lula seja candidato na eleição deste ano e convida "a todos e a todas" a se juntarem à campanha pela libertação do ex-presidente. Ela ressalta também que Lula é "um grande amigo do mundo árabe" e que em seu governo o comércio com a região "se multiplicou por cinco". "Ao longo da história, o Brasil recebeu milhões de árabes e palestinos, mas Lula foi o único presidente que visitou o Oriente Médio", destacou a parlamentar.

Últimas Notícias

Ver mais
A nova lei de cotas: o segundo round de uma revolução nada silenciosa

Brasil

A nova lei de cotas: o segundo round de uma revolução nada silenciosa

Há 4 horas

Sucesso da COP28 dependerá de linguagem sobre combustíveis fósseis, diz Marina Silva

Brasil

Sucesso da COP28 dependerá de linguagem sobre combustíveis fósseis, diz Marina Silva

Há 4 horas

Rio quer proibir uso de celular por alunos em escolas e faz consulta pública; veja como participar

Brasil

Rio quer proibir uso de celular por alunos em escolas e faz consulta pública; veja como participar

Há 5 horas

Piso da enfermagem, execução fiscal e poderes do TSE estão na pauta do STF da semana

Brasil

Piso da enfermagem, execução fiscal e poderes do TSE estão na pauta do STF da semana

Há 5 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Oracle realiza evento gratuito sobre o poder da IA para transformar os negócios

Oracle realiza evento gratuito sobre o poder da IA para transformar os negócios

Lead Energy quer reduzir R$ 1 bi na conta de luz dos brasileiros até 2027

Lead Energy quer reduzir R$ 1 bi na conta de luz dos brasileiros até 2027

Ceará deve se tornar um dos maiores produtores do combustível do futuro

Ceará deve se tornar um dos maiores produtores do combustível do futuro

“O número de ciberataques tem crescido 20% ao ano”, diz a Huawei

“O número de ciberataques tem crescido 20% ao ano”, diz a Huawei

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais