Brasil
Acompanhe:

Haddad: Entendo ansiedade do mercado em saber da PEC, mas não era pessoa indicada

Ex-prefeito de SP afirma que foi ao evento da Febraban "na condição de representante do presidente eleito", e não como integrante do governo de transição

Fernando Haddad: petista reforçou que é prerrogativa de Lula anunciar sua equipe ministerial quando achar que é o momento (DANIEL RAMALHO/AFP/Getty Images)

Fernando Haddad: petista reforçou que é prerrogativa de Lula anunciar sua equipe ministerial quando achar que é o momento (DANIEL RAMALHO/AFP/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

29 de novembro de 2022, 08h15

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), favorito para assumir o Ministério da Fazenda, afirmou que "entende" a reação negativa do mercado financeiro à sua participação em evento da Febraban na última sexta-feira devido à falta de detalhamento na área fiscal.

Ele explicou, contudo, que foi na condição de representante do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, e não como integrante do governo de transição. "Entendo da parte dos operadores de mercado a ansiedade de saber como essas negociações vão ocorrer, mas eu não era a pessoa indicada para esse papel", afirmou Haddad na saída do Centro Cultural Banco do Brasil.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

"Se estivesse na mesa de operação, também queria ter essa informação, mas não era eu a pessoa indicada para dar essa informação", acrescentou. De acordo com Haddad, no entanto, o próximo ministro da Fazenda terá de se debruçar sobre a questão fiscal.

"Quem vai pilotar o ministério, que vai ser convidado pelo presidente Lula é que vai ter que se apropriar dessa questão, que e uma questão transitória, muitas outras a área econômica vai ter que se debruçar", disse o ex-MEC.

O favorito para a Fazenda reforçou que é prerrogativa de Lula anunciar sua equipe ministerial quando achar que é o momento. "A melhor coisa que podemos fazer é colaborar. Estou à disposição do governo de transição para ajudar, na área da educação, na área da economia", declarou Haddad.

LEIA TAMBÉM: