Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Guedes diz que estatal Valec é 'centro de corrupção' e deveria fechar

A Valec, assim como quase a totalidade da área federal de transportes, costumava ser um feudo do PL, partido que o presidente Jair Bolsonaro negocia a filiação

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou neste domingo, 14 que a Valec, empresa estatal de ferrovias ligada ao Ministério da Infraestrutura, deveria ser fechada. O chefe da equipe econômica comentou sobre a estatal durante a abertura da Dubai Air Show, feira de aviação em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

"São quatro ou cinco empresas que geram R$ 28 bilhões de um lado e a gente carrega 150 deficitárias do outro lado, Valec, EBP (Estruturadora Brasileira de Projetos). A EBP fez um trem bala que não existe, a Valec já tinha que ter fechado, centro de corrupção", disse o ministro, em conversa com jornalistas.

A Valec, assim como quase a totalidade da área federal de transportes, costumava ser um feudo do PL, partido que o presidente Jair Bolsonaro negocia a filiação. Em 2011, durante a gestão de Dilma Rousseff (PT), a Valec e o próprio comando Ministério dos Transportes (hoje Infraestrutura) tiveram que ser trocados diversas vezes por conta de suspeitas de corrupção.

Em 2020, já durante a o governo Bolsonaro, a empresa ferroviária também aparecia em denúncias de irregularidades.

Guedes também afirmou que apenas cinco estatais fecham os balanços anuais com saldo positivo. "Nós ganhamos 28 bilhões de reais todo ano, são mais de 5 bilhões de dólares, com as estatais superavitárias, só que a gente enterra na deficitárias".

De acordo com o chefe da equipe econômica, as empresas estatais que dão lucro rendem R$ 28 bilhões, mas que as que dão prejuízo quase anulam isso, pois dão prejuízo de R$ 27 bilhões.

Ao ser perguntado sobre a privatização dos Correios, o ministro foi evasivo. "Está fora do cronograma, mas vamos continuar insistindo", afirmou. O projeto que permite a privatização da estatal foi aprovado pela Câmara em agosto, mas está sem perspectiva de avançar no Senado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também