Greve dos professores do Paraná termina após 45 dias

O acordo propõe que o estado pague 3,45% de aumento (referente à inflação de maio a dezembro de 2014) em uma única parcela, em outubro deste ano

Curitiba - Os professores do Paraná decidiram retornar à sala de aula, após 45 dias de greve. A decisão foi tomada em assembleia no estádio da Vila Capanema, com cerca de dez mil pessoas, no final da manhã de terça-feira, 9. Com isso, os professores retomam as aulas nesta quarta-feira, 10.

O acordo, conforme projeto encaminhado à Assembleia Legislativa e que será votado durante a tarde, propõe que o Estado pague 3,45% de aumento (referente à inflação de maio a dezembro de 2014) em uma única parcela, em outubro deste ano.

Já a inflação relativa a 2015 será fechada em janeiro de 2016. As perdas inflacionárias de 2016 deverão ser repassadas em janeiro de 2017 juntamente com um adicional de 1%. Os professores queriam 8,17% em parcela única a ser paga neste mês.

Segundo o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, o movimento mostrou um resultado positivo. Leão comentou os confrontos ocorridos em 29 de abril, assim como, as quedas dos secretários da Educação, Fernando Xavier, e da Segurança, Fernando Francischini, provocadas pela greve e os conflitos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.