Governo não deveria ter interrompido auxílio emergencial, diz Mourão

Vice-presidente afirmou que Executivo deveria ter entendido que pandemia 'não iria terminar em 31 de dezembro'

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nessa sexta-feira que o governo federal falhou na comunicação sobre a pandemia, ao não convencer as pessoas da gravidade da doença, e ao ter encerrado o auxílio emergencial e outros programas em dezembro, o que, na avaliação dele, prejudicou a economia.

"Tínhamos que ter tido uma comunicação mais eficiente de modo que a população entendesse a gravidade da doença. Ao mesmo tempo a curva da economia, as linhas de crédito abertas, o auxílio emergencial que foi pago, deveriam ter sido prolongados. Nós tínhamos que ter entendido que a pandemia ia prosseguir e não ia terminar em 31 de dezembro", disse o vice-presidente em entrevista à Rádio Gaúcha.

O governo federal voltou a pagar o auxílio emergencial este mês, em quatro novas parcelas de 250 reais. No entanto, além do valor menor - o anterior começou em 600 reais e, depois, foi prorrogado por três meses para 300 reais -, houve um intervalo de três meses entre o pagamento do anterior e o novo auxílio.

Programas de manutenção de emprego com redução de salário e jornada e linhas de financiamento para pequenas e micro empresas, que funcionaram em 2020, também foram suspensos. Novos projetos já foram preparados, mas ainda não foram aprovados pelo Congresso.

Perguntado sobre o comportamento do presidente Jair Bolsonaro, que não usa máscaras e, desde o início da epidemia nunca se preocupou em evitar aglomerações, Mourão não quis responder.

"Eu sou vice-presidente. Não compete a mim tecer esse tipo de crítica, para mim é deslealdade. O que tiver que falar a respeito eu falo intramuros", disse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.