Governo de SP dobra policiais nas ruas da capital, com jornada extra

O pacote é uma tentativa do governador Rodrigo Garcia (PSDB) de dar resposta aos casos recorrentes de roubos violentos na cidade de São Paulo
Polícia Militar: são 3 mil agentes de segurança a mais na capital (Governo de SP/Divulgação)
Polícia Militar: são 3 mil agentes de segurança a mais na capital (Governo de SP/Divulgação)
Por Da Redação, com Estadão ConteúdoPublicado em 04/05/2022 14:57 | Última atualização em 04/05/2022 15:06Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 4, que vai quase dobrar o efetivo policial que atua diariamente na cidade de São Paulo numa tentativa de frear a onda de furtos e roubos que tem assustado os moradores nas últimas semanas.

A quantidade de agentes em operação deve passar dos atuais 5 mil para 9.740, reforço que vai contar também com a participação da prefeitura da capital paulista. A iniciativa está sendo chamada de Operação Sufoco. A ideia é começar pela cidade de São Paulo, e depois levar para a região metropolitana, além dos grandes municípios do interior.

As medidas foram anunciadas pelo governador Rodrigo Garcia (PSDB) e pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB). O reforço adicional de 4.740 policiais na atividade diária ocorrerá por meio da Operação Delegada (bico oficial dos policiais pago pela prefeitura, que vai acrescentar 1,24 mil agentes) e por meio da jornada extra de trabalho a ser paga pelo próprio governo estadual (com 3,5 mil policias extras, sendo 3 mil PMs e 500 policiais civis).

“Eu quero deixar um aviso muito claro a esses bandidos, que eles mudem de profissão ou mudem de estado, porque a polícia vai atrás de cada um deles. Quem cometer crime aqui em São Paulo, vai ser preso. O bandido que levantar arma para polícia vai levar bala da polícia que, dentro dos limites da lei, vai agir com muito rigor em relação à criminalidade”, disse Garcia, em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira.

Do lado da prefeitura, a Guarda Municipal deverá contar com até 750 novos agentes por dia nas ruas. O efetivo diário da Guarda da capital é estimado em 1.824 agentes. Por meio das diárias especiais de atividade complementar, 750 novos guardas deverão incorporar a rotina de segurança. Também está em andamento um concurso público que pretende contratar, de imediato, mil agentes, segundo o prefeito.

Mobilização

O governo estima que 1,5 mil viaturas circulem por dia na cidade, com apoio de seis helicópteros e drones que vão sobrevoar as marginais e corredores viários. O pacote é uma tentativa de Garcia de dar resposta aos casos recorrentes de roubos violentos na capital o governador vai disputar a reeleição para retornar ao cargo em outubro. No mês passado, o caso de um jovem estudante morto em um latrocínio no Jabaquara (zona sul) cometido por um falso entregador chamou a atenção para a gravidade do problema.

Segundo o governo, um acordo foi firmado com empresas de entrega por aplicativo para compartilhamento de bancos de dados e informações sob coordenação da área de inteligência das polícias. "A troca da base de dados será incorporada para facilitar a identificação de criminosos que tentam se passar por entregadores. Também foi definida a continuação das abordagens e das ações educativas", informou o governo.

LEIA TAMBÉM:

Aumento a policiais

Antes de deixar o cargo, o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sancionou o projeto de lei que concedeu aumento de 20% para policiais e profissionais de saúde. Os servidores estaduais das demais categorias receberam um reajuste de 10% nos salários.

O novo valor entrou no contracheque dos servidores no dia 1º de março e contemplou tanto ativos quanto aposentados de todo o estado de São Paulo. O aumento aos mais de 540 mil servidores do estado tem um impacto de R$ 6 bilhões por ano no caixa paulista.

(Com Estadão Conteúdo)