Fornecimento de energia é cortado a pedido do ONS

Diversas distribuidoras de energia receberam ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico para corte seletivo da carga de eletricidade em vários estados

	Torres de energia elétrica: empresas afirmaram que não sabiam os motivos para o corte de carga
 (Guang Niu/Getty Images)
Torres de energia elétrica: empresas afirmaram que não sabiam os motivos para o corte de carga (Guang Niu/Getty Images)
A
Anna Flávia RochasPublicado em 19/01/2015 às 16:26.

São Paulo - Diversas distribuidoras de energia receberam ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para corte seletivo da carga de eletricidade nesta segunda-feira em vários Estados do Brasil.

As empresas, que incluem distribuidoras em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, afirmaram que não sabiam os motivos para o corte de carga, que gradualmente era restabelecida nas áreasatingidas.

O corte, segundo as companhias, ocorreu em locais não prioritários, evitando hospitais e indústrias.

As distribuidoras de energia CPFL, Copel, Light, Eletropaulo, Cemig, Celesc e CEB estão entre as concessionárias de energia que já confirmaram terem recebido ordem do ONS para corte na carga de eletricidade.

O corte seletivo de carga ocorreu dentro do denominado Esquema Regional de Alívio de Carga (Erac), sistema de proteção coordenado pelo ONS que determina às concessionárias de energia elétrica cortes em estágio, com o objetivo de preservar o fornecimento do sistema, informou a CPFL Energia.

O incidente acontece num momento de baixo nível dos reservatórios de hidrelétricas e de crescente temor de um racionamento de energia no país, diante do baixo nível de chuvas e elevadas temperaturas nas regiões em que ficam importantes usinas geradoras de eletricidade.

Houve corte de 800 MW nas área de concessão da CPFL nos Estados de São Paulo e no Rio Grande do Sul, de 320 MW na área da Copel (PR) e de 700 MW na área da Eletropaulo (SP).

A Light (RJ) não pôde informar de imediato o tamanho do corte em sua área de concessão.

Na cidade de São Paulo, as operações da Linha Amarela do metrô foram atingidas por problema na alimentação de energia por volta das 14h35, que causaram parada de trem entre as estações Luz e República.

A linha é utilizada por cerca de 700 mil pessoas diariamente.

O ONS não informou de imediato o motivo do pedido de corte na carga às distribuidoras.

O Ministério de Minas e Energia afirmou que compete ao ONS dar mais detalhes.

Na sexta-feira, boletim do ONS reduziu para 18,5 por cento a estimativa de nível dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste do país no fim de janeiro, diante da perspectiva de menos chuva que o esperado anteriormente para este mês.