Em nota, MDB confirma liberação de filiados no segundo turno

Do partido, Simone Tebet deve declarar voto em Lula durante pronunciamento nesta quarta
Simone Tebet faz parte do partido e deve fazer pronunciamento hoje (Jefferson Rudy/Agência Senado/Flickr)
Simone Tebet faz parte do partido e deve fazer pronunciamento hoje (Jefferson Rudy/Agência Senado/Flickr)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 05/10/2022 às 13:02.

O MDB reiterou em nota, nesta quarta-feira, 5, que libera seus filiados para se manifestarem no segundo turno "conforme sua consciência". O partido enfatizou a defesa em favor da liberdade democracia e povo brasileiro e destaca que, em qualquer cenário "cobrará do vencedor o respeito ao voto popular".

"Nas últimas 48 horas, dirigentes, congressistas, governadores e prefeitos externaram sua posição em relação à disputa nacional em segundo turno. Por ampla maioria, o MDB decidiu dar liberdade para que cada um se manifeste conforme sua consciência", diz a nota.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta.

Outros líderes nacionais do MDB, como o senador Renan Calheiros (AL) e o deputado eleito Eunício Oliveira (CE), também viajarão para a capital paulista, onde está o comitê de Lula, e ajudarão na campanha do petista.

Diretórios de ao menos dez Estados, como os do Nordeste e do Rio - que já estavam com Lula no primeiro turno -, vão repetir o aval ao petista. O ex-presidente Michel Temer (MDB), como mostrou o Estadão, deve apoiar Jair Bolsonaro (PL). A relação de Temer com o PT ficou desgastada após o impeachment de Dilma Rousseff.

"Em respeito ao cenário, o MDB deixa claro que cobrará do vencedor o respeito ao voto popular, ao processo eleitoral como um todo e, sobretudo, a defesa intransigente da Constituição de 19888 e do Estado Democrático de Direito", finaliza a nota.

LEIA TAMBÉM: