• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Comércio e serviços puxam geração de empregos no Brasil

Economista da Tendências Consultoria diz que é uma falácia a ideia de que os salários das indústrias são maiores do que os do setor de serviços
Comércio e serviços geram mais empregos que o setor industrial (Site Exame/Fernando Moraes)
Comércio e serviços geram mais empregos que o setor industrial (Site Exame/Fernando Moraes)
Por Luís Artur NogueiraPublicado em 19/11/2010 15:53 | Última atualização em 19/11/2010 15:53Tempo de Leitura: 4 min de leitura

São Paulo - O comércio e o setor de serviços lideram a geração de postos de trabalho neste ano e vão contribuir de forma decisiva para o cumprimento da meta do governo de criar 2,5 milhões de vagas formais.

 

A avaliação é do economista da Tendências Consultoria Bernardo Wjuniski, que participou nesta sexta-feira (19) do programa “Momento da Economia”, na Rádio EXAME (clique na imagem ao lado para ouvir a entrevista).

Segundo o Ministério do Trabalho, o saldo acumulado no ano é de 2,4 milhões de empregos com carteira assinada. Embora a tendência seja de que os dois últimos meses tenham resultado mais fraco, a meta deverá ser alcançada.

“A economia tem uma dinâmica característica de contratações até outubro e de utilização dessa mão de obra no fim de ano, mas não teremos resultado negativo em novembro e dezembro. A partir de janeiro, a expectativa é de retomada mais veloz da geração de vagas”, diz Wjuniski.

Fonte: Caged
Meses/2010 Vagas formais
Janeiro 181.419
Fevereiro 209.425
Março 266.415
Abril 305.068
Maio 298.041
Junho 212.952
Julho 181.796
Agosto 299.415
Setembro 246.875
Outubro 204.804
Acumulado 2.406.210

O economista explica que parte desses empregos era informal e foi regularizada graças ao crescimento da economia. A indústria demonstra recuperação, mas em ritmo menor que o registrado no setor de serviços. “A concorrência dos importados, a queda da demanda mundial e os ganhos de produtividade das empresas explicam a abertura menor de vagas no setor produtivo.”

Na entrevista, Bernardo Wjuniski faz uma comparação entre os empregos gerados na indústria e os oferecidos pelo setor de serviços, derrubando alguns mitos. “A tendência é que os salários subam à medida em que o setor de serviços cresça. É uma falácia que a diferença salarial é grande entre indústria e serviços.”