Carnaval de rua de São Paulo pode acontecer em 9 de julho, diz prefeito

Prefeitura descarta realização do evento no feriado de Tiradentes, contrariando organizadores; em 2020, blocos atraíram 15 milhões de pessoas
Carnaval de rua em São Paulo pode ser realizado no feriado de 9 de julho, diz prefeito (Felipe Beltrame/NurPhoto via Getty Images/Getty Images)
Carnaval de rua em São Paulo pode ser realizado no feriado de 9 de julho, diz prefeito (Felipe Beltrame/NurPhoto via Getty Images/Getty Images)
Carla Aranha
Carla AranhaPublicado em 12/04/2022 às 16:50.

Em meio ao impasse sobre a data prevista para o Carnaval de rua de São Paulo, o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), adiantou que a administração municipal estuda a realização dos desfiles dos blocos no feriado de 9 de julho, que cai em um sábado. Os organizadores dos festejos, que atraem multidões -- em 2020, 15 milhões de pessoas lotaram as ruas da capital durante o Carnaval --, insistem para a festa aconteça durante o feriado de Tirandentes, no próximo dia 21.

A prefeitura é contrária à ideia. "Um evento desse porte necessita de uma organização ampla, inclusive com toda uma estrutura de segurança que inclui policiamento, médicos e ambulâncias", disse o prefeito. Para desfilar, os blocos precisam de autorização do poder público.

A gestão municipal também sustenta que precisa de mais tempo para publicar o edital relativo às regras de patrocínio do evento. O Carnaval movimentou mais de 2,5 bilhões de reais em 2020, antes de ser suspenso em função da pandemia. Grandes empresas, como a Ambev, costumam patrocinar os festejos.

Até agora, não se chegou a uma definição sobre a data em que será o Carnaval de rua este ano. Segundo a secretária municipal de cultura, Aline Torres, a prefeitura continua estudando a liberação dos desfiles de rua no feriado de Corpus Christi, em junho. O Fórum de Blocos de Rua, que reúne representantes do evento, avalia que seria mais adequado adiar o Carnaval para o segundo semestre, para evitar a concorrência com a festa junina e outros festejos tradicionais, ou optar pelo feriado de Tiradentes.

A prefeitura, segundo Nunes, estuda a ideia. "De qualquer modo, uma saída seria programar a festa para o feriado de 9 de julho, quando não haverá outras comemorações na cidade e teremos tempo de providenciar toda a estrutura necessária", afirma.