Brasileiro continua desaparecido no mar da Nova Zelândia

A região é considerada uma das mais bonitas da Nova Zelândia e são comuns as escaladas e passeios com orientados por guias

Brasília – Seis dias depois do desaparecimento do estudante brasileiro João Felipe Martins de Melo, de 17 anos, no mar de New Plymouth, na Nova Zelândia, e de mais dois neozelandeses, as equipes de busca admitem que não há mais esperança de encontrar os três com vida. No fim de semana, apenas a mochila do estudante Stephen Lewis Kahukaka-Gedye foi resgatada.

Os dois jovens caíram em um penhasco no Parque Paritutu, no último dia 7, e o instrutor Bryce John Jourdain, de 42 anos, pulou no mar para tentar salvá-los e acabou desaparecendo também. A região é considerada uma das mais bonitas da Nova Zelândia e são comuns as escaladas e passeios com orientados por guias.

O embaixador do Brasil na Nova Zelândia, Eduardo Gradilone, passou o fim de semana na região onde houve o acidente. Ele conversou com as equipes de busca e também se reuniu com parentes e amigos de João Felipe.

O estudante cearense fazia intercâmbio na Nova Zelândia e estava em um passeio com 11 colegas do Spotswood College. Eram acompanhados por dois instrutores de uma empresa de esportes de aventura.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também