• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Brasil teve 63.880 mortes violentas intencionais em 2017

Número do ano é salto de 2,9 por cento em relação ao mesmo período de 2016, o que resulta em média diária de mortes violentas intencionais de 175 pessoas
Assassinatos: média nacional das mortes violentas foi de 30,8 para cada 100 mil habitantes (Getty Images/George Frey/Getty Images)
Assassinatos: média nacional das mortes violentas foi de 30,8 para cada 100 mil habitantes (Getty Images/George Frey/Getty Images)
Por Mateus Maia, da ReutersPublicado em 09/08/2018 20:01 | Última atualização em 09/08/2018 20:01Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Brasília - O Brasil registrou 63.880 mortes violentas intencionais em 2017, segundo o 12º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira, o que representa um novo recorde.

O número do ano é um salto de 2,9 por cento em relação ao mesmo período de 2016, o que resulta em uma média diária de mortes violentas intencionais de 175 pessoas, de acordo com o documento.

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), entram nessa conta homicídios, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte, homicídios de policiais e mortes por intervenções policiais.

O anuário informou também que foram registrados 60.018 estupros em 2017 no Brasil, um aumento de 8,4 por cento em relação a 2016. Já as tentativas de estupro caíram 2,9 por cento, para 5.997 casos registrados.

A média nacional das mortes violentas foi de 30,8 para cada 100 mil habitantes. Entre os Estados, o Rio Grande do Norte é o que teve a maior taxa, com 68,0 casos para cada 100 mil habitantes, seguido por Acre (63,9) e Ceará (59,1). Na outra ponta, São Paulo registrou 10,7 casos, seguido por Santa Catarina (16,5) e pelo Distrito Federal (18,2).

Ao todo, a segurança pública consumiu 84,7 bilhões de reais, ou 1,3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017.

Para o diretor-presidente do fórum, Renato Sérgio de Lima, não há solução mágica para o problema.

"Os recursos são escassos, trabalha-se muito, mas desarticuladamente, gasta-se mal, e não aprendemos com as sucessivas crises que acompanhamos no setor ao longo dos últimos anos", completou. O FBSP é responsável pelo anuário.

O estudo apontou ainda um aumento de 20,5 por cento das mortes decorrentes de intervenções policiais no ano passado --foram 5.144.

Do total de vítimas de homicídios, 4.539 foram mulheres e destas, 1.133 foram feminicídios.

 

Veja Também

Morre o cineasta Breno Silveira, aos 58 anos
Casual
Há uma semana • 1 min de leitura

Morre o cineasta Breno Silveira, aos 58 anos

Homem morre baleado na região da Cracolândia
Brasil
Há uma semana • 3 min de leitura

Homem morre baleado na região da Cracolândia

Presidente dos Emirados Árabes Unidos morre aos 73 anos
Mundo
Há uma semana • 2 min de leitura

Presidente dos Emirados Árabes Unidos morre aos 73 anos

EUA supera um milhão de mortes por covid-19
Mundo
Há uma semana • 5 min de leitura

EUA supera um milhão de mortes por covid-19

"Rust": produtores do filme negam falhas de segurança no set
Casual
Há uma semana • 2 min de leitura

"Rust": produtores do filme negam falhas de segurança no set