Brasil

Bolsas da Capes e do CNPQ terão reajustes, diz ministro da Educação

Além disso, Camilo Santana garantiu que a Pasta aprofundará o investimento no Prouni e no Fies

Lula e Camilo Santana: ministro da Educação quer reajustar programas de bolsa (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Lula e Camilo Santana: ministro da Educação quer reajustar programas de bolsa (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 19 de janeiro de 2023 às 13h41.

Última atualização em 19 de janeiro de 2023 às 13h48.

O ministro da Educação, Camilo Santana, afirmou que a Pasta fará reajuste nas bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Além disso garantiu que a Pasta aprofundará o investimento no Programa Universidade Para Todos (Prouni) e no Fundo de Financiamento Estudantil do Ensino Superior (Fies).

"Essa reunião tem um simbolismo muito forte", declarou o ministro, em encontro com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e reitores de universidades e institutos federais nesta quinta-feira, 19, no Palácio do Planalto.

Santana reforçou a esteira de críticas que permeou a reunião ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro e os impactos negativos que teve na educação nacional.

"O MEC estará de portas abertas para o diálogo, união, reconstrução porque houve um desmonte. Estamos na terceira semana, estamos tomando pé, mas estou impressionado com o desmonte que fizeram na educação pública desse país", declarou o ministro.

Ao falar sobre os desafios para os próximos anos, o ministro destacou a evasão nas escolas e universidades e a necessidade de ampliação e oferta de vagas e acesso a alunos das universidades. Para isso, ele disse ser preciso "saber demandas do mercado para ampliar vagas".

Camilo pontuou a elaboração de um novo Plano Nacional de Educação, que vence em 2024, para o estabelecimento de metas para os próximos dez anos. Além disso, citou a importância da aprovação pelo Senado Federal do Sistema Nacional de Educação (SNE). "Precisamos olhar a educação com uma visão sistêmica, desde a creche até a pós-graduação."

Acompanhe tudo sobre:Camilo SantanaEducaçãoFaculdades e universidadesGoverno Lula

Mais de Brasil

Governo cria sistema de emissão de carteira nacional da pessoa com TEA

Governo de SP usará drones para estimar número de morte de peixes após contaminação de rios

8/1: Dobra número de investigados por atos golpistas que pediram refúgio na Argentina, estima PF

PEC que anistia partidos só deve ser votada em agosto no Senado

Mais na Exame